Eleições para o Senado prometem ser mais acirradas do que a governador em 5 estados - Caarapó Online

CAARAPÓ - MS, quarta-feira, 10 de agosto de 2022


Eleições para o Senado prometem ser mais acirradas do que a governador em 5 estados

Eleições para o Senado prometem ser tão ou mais acirradas do que as de governador, em cinco estados

Publicado em: 30/07/2022 às 08h37

TSE

Com o período de convenções em andamento, os partidos ainda estão definindo suas candidaturas para as eleições de 2022. Mesmo assim, pesquisas de intenção de voto já mostram que não são só as eleições para presidente e governador que serão bastante disputadas: em alguns estados, a corrida por uma vaga no Senado deve ser tão ou ainda mais acirrada.

Em São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, por exemplo, o páreo pelas duas cadeiras – senador e governador – dá sinais de que não será fácil. Mas, em estados como o Pará, a escolha do governador parece mais bem definida, enquanto a vaga para o Senado está totalmente em aberto.

1.São Paulo

Em São Paulo, a definição do candidato do presidente Jair Bolsonaro (PL) não necessariamente ajudou a clarear o panorama. No final de semana, o pré-candidato do presidente ao governo do estado, o ex-ministro Tarcísio Gomes de Freitas (Republicanos), anunciou que a chapa terá Marcos Pontes (PL) como concorrente ao Senado.

Com isso, deve ficar de fora a deputada federal Carla Zambelli (PL), que provavelmente concorrerá pela renovação do seu mandado na Câmara. Mesmo assim, outra pré-candidata com apelo junto à direita, a atual deputada estadual Janaína Paschoal (PRTB), pode seguir na disputa.

Por enquanto, nem Pontes nem Janaína lideram. Segundo pesquisa do Real Time Big Data, Márcio França (PSB), que tem o apoio de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Fernando Haddad (PT), está à frente dos demais. A vantagem é de nove pontos percentuais na comparação com Janaína Paschoal.

Márcio França (PSB-SP) - 23%
Janaína Paschoal (PRTB-SP) - 14%
Marcos Pontes (PL-SP) - 8%
Milton Leite (União Brasil) - 5%
José Aníbal (PSDB) - 3%

2.Paraná

No Paraná, enquanto Ratinho Jr. (PSD) aparece com liderança folgada nas eleições para governador – ele tem 43% das intenções de voto, frente a 16% de Roberto Requião (PT), de acordo com o Real Time Big Data –, a disputa pela vaga no Senado dá sinais de que será mais apertada.

Senador há mais de duas décadas, Alvaro Dias (Podemos) deve concorrer pela manutenção do mandato. Sua intenção era formar uma aliança com Ratinho, apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro. O grupo, porém, deve ter Paulo Martins (PL) como candidato, e não Alvaro Dias.

Sergio Moro (União Brasil-PR) - 31%
Alvaro Dias (Podemos-PR) - 26%
Doutor Rosinha (PT-PR) - 7%
Paulo Martins (PL) - 5%
Aline Sleutjes (Pros) - 2%

3.Minas Gerais

Em Minas Gerias, pesquisa do Real Time Big Data mostra também uma disputa apertada para o Senado Federal , ainda que as candidaturas não estejam definidas. Três candidatos aparecem tecnicamente empatados pela margem de erro do levantamento, de três pontos percentuais: Aécio Neves (PSDB), Alexandre Silveira (PSD) e Cleitinho Azevedo (PSC).

Aécio Neves (PSDB) - 16%
Alexandre Silveira (PSD) - 11%
Cleitinho Azevedo (PSC) - 10%
Duda Salabert (PDT) - 7%
Marcelo Álvaro Antônio (PL) - 3%

4.Rio Grande do Sul

Levantamento do Paraná Pesquisas, divulgado no início de julho, mostra que a disputa pelo Senado no Rio Grande do Sul deve ser tão acirrada quanto a corrida pelo governo estadual. Na eleição para o Executivo, o cenário indica que Eduardo Leite (PSDB) e Onyx Lorenzoni (PL) devem disputar o segundo turno. O tucano tem 29,5% das intenções de voto, frente a 22,1% do ex-ministro de Bolsonaro.

Para o Senado, a pesquisa aponta empate técnico entre Ana Amélia (PSD) e o General Hamilton Mourão (Republicanos). Eles têm 26,4% e 23,4% das intenções de voto, respectivamente. Outro nome importante na disputa é o do senador Lasier Martins (Podemos), que tentará a reeleição.

Ana Amélia (PSD) - 26,4%
General Hamilton Mourão (Republicanos) - 23,4%
Miguel Rossetto (PT) - 10,6%
Lasier Martins (Podemos) - 8,7%
Nelson Marchezan Júnior (PSDB) - 4,8%

5.Pará

No Pará, Helder Barbalho (MDB) tem chance de se reeleger ainda no primeiro turno, de acordo com pesquisa do Real Time Big Data. Ele aparece com 62% das intenções de voto, frente a 10% de Zequinha Marinho (PL). Mas, na disputa pela vaga no Senado, o cenário é bem diferente. Segundo o mesmo levantamento, Mário Couto (PL) e Flexa Ribeiro (PP) – ambos ex-senadores – estão numericamente empatados. Beto Faro (PT) e Manoel Pinheiro (PSDB) também aparecem com chances.

Mário Couto (PL-PA) - 18%
Flexa Ribeiro (PP-PA) - 18%
Beto Faro (PT) - 14%