Com inovação no setor público, Seinfra projetou terminal do aeroporto de Dourados(MS) - Caarapó Online

CAARAPÓ - MS, sábado, 13 de agosto de 2022


Com inovação no setor público, Seinfra projetou terminal do aeroporto de Dourados(MS)

Com método inédito no setor público, Seinfra projeta novo terminal de passageiros do aeroporto de Dourados

Publicado em: 27/06/2022 às 06h15

SEINFRA

O Aeroporto Regional de Dourados(MS) - Francisco de Matos Pereira, ganhará em breve um novo terminal de passageiros amplo e moderno que será construído em uma área ao lado do atual prédio. O projeto está sendo desenvolvido pelo Governo do Estado, por meio da Seinfra (Secretaria de Estado de Infraestrutura).

Para a elaboração do projeto, a Seinfra inovará adotando o método BIM (Building Information Modeling), que em português significa “Modelagem da Informação da Construção”, já muito utilizado no setor privado, mas nunca antes em construções do Poder Público Estadual de Mato Grosso do Sul. O método já é uma exigência federal, por meio do Decreto nº 10.306, de 2 de abril de 2020, que passou a vigorar em janeiro de 2021.

O objetivo principal do BIM é unificar os projetos que compõem um empreendimento como o arquitetônico, estrutural, elétrico, hidráulico, por exemplo, permitindo uma simulação completa da obra, em 3D, para que cada intervenção seja observada em seus detalhes. O superintendente viário da Seinfra, Dérick Machado, explica que o BIM evita conflitos entre as fases da construção. “Os projetos, quando executados separadamente, acabam causando certos problemas na hora de executar a obra. Um exemplo é uma fiação projetada para passar em um local onde foi instalada uma janela. O BIM unifica os projetos e mostra como a obra vai ficar, evitando esse tipo de conflito”, exemplificou.

O engenheiro civil Diego Felipe Capraro, sócio-diretor da Econômica Engenharia e Obras, empresa que venceu a licitação para elaborar o projeto, reforça os benefícios da ferramenta na obra. “O uso do BIM permitirá que o projeto seja elaborado de forma mais otimizada e integrada, evitando assim conflitos, incompatibilidades e erros de projeto, que poderiam atrasar a execução da obra e gerar custos extras. Nossa empresa tem larga experiência na execução de projetos em BIM e tem certeza que o trabalho final trará um vantajoso retorno para o governo e a sociedade”, afirmou.

Somente depois da fase de projetos é possível determinar o valor exato a ser investido no novo terminal que será construído com recursos próprios do Governo do Estado. Na análise do secretário de Estado de Infraestrutura, Renato Marcílio, os critérios do BIM possibilitam melhor aplicação do dinheiro público. “Todo o nosso trabalho é pautado na responsabilidade com o dinheiro público. Com o método BIM conseguimos analisar cada detalhe da construção antes das primeiras edificações compatibilizando obrigatoriamente os diversos projetos (arquitetônico, estrutural, fundação, elétrico, hidráulico, etc.). É onde conseguimos reduzir custos e entregar uma obra com qualidade, dentro do prazo, sem atrasos e gastos extras”, disse.

Novo terminal aeroporto

O novo terminal de passageiros de Dourados será maior que o atual, que tem aproximadamente 850 m² de construção. Em uma área 8.255,75 m², há aproximadamente 300 metros do atual, o novo prédio terá 3.356,90 m² de área construída, com terminal de passageiros, Estação Prestadora de Serviços de Telecomunicações e Trafego Aéreo – EPTA, Seção Contra Incêndio – SCI, Central de Utilidades – CuTi e Casa de Força – KF.

O diretor do aeroporto, Juliano de Almeida Domingos, destaca que o novo terminal era uma necessidade já que o movimento no local vem aumentando, chegando a receber 10 mil passageiros por mês, além de atender aproximadamente 15 municípios da região. “Essa é uma obra fundamental para o desenvolvimento da cidade que é ‘capital’ de uma grande região com aproximadamente 1 milhão de sul-mato-grossenses. O aeroporto representa muito para a economia, não apenas pelo trânsito de pessoas, mas de carga também. A retomada da operação é primordial para que possamos nos consolidar como polo regional”, disse.

Para a contratação do projeto, o Governo Federal destinou R$ 395.896,66 do Fundo Nacional de Aviação Civil (Fnac). Atualmente o aeroporto passa por obras de restauração da pista de pouso e decolagem, entre outras intervenções que são executadas pelo Exército Brasileiro, em parceria com o Ministério da Infraestrutura. “Com a conclusão da parte de infraestrutura de pista, pátio e faixas preparadas, o aeroporto estará bem mais seguro na questão de segurança operacional”, emendou o diretor.