Produtor leva prejuízo de quase meio milhão ao comprar gado em Camapuã (MS) - Caarapó Online

CAARAPÓ - MS, sábado, 13 de agosto de 2022


Produtor leva prejuízo de quase meio milhão ao comprar gado em Camapuã (MS)

Crime foi registrado na delegacia da cidade, que acompanhará os desdobramentos do caso

Publicado em: 26/06/2022 às 06h53

Ana Clara Santos

Um pecuarista de Mato Grosso do Sul teve um prejuízo R$ 448.000,00 ao negociar a compra de 130 cabeças de gado em Camapuã. O crime foi registrado como estelionato na delegacia da cidade, que acompanhará o caso. De acordo com as informações registradas do boletim de ocorrência, o pecuarista negociou as cabeças de gado com um homem que se apresentava como Agostinho. A proposta chegou para a vítima por meio de um corretor rural, o que é comum para esse tipo de compra.

Esse corretor teria dito que recebeu o contato de uma pessoa que se identificou como Odalício e ofereceu as 130 cabeças por um preço bem atrativo. Ainda não se sabe quem é essa pessoa que fez a proposta de negócio por telefone.

Após as negociações iniciais, ficou combinado do pecuarista ir até uma fazenda localizada a 12 km do Centro de Camapuã para fazer a inspeção do gado. A visita aconteceu na quinta-feira (23.06), pela manhã, quando foi recebido por uma pessoa que, de acordo com Agostinho, seria o gerente da propriedade rural.

Enquanto os animais eram pesados, o suposto gerente mantinha contato frequente com Agostinho, mandando fotografias do gado. Para finalizar a venda, Agostinho solicitou a inscrição estadual de produtor rural da vítima, que também autorizou a emissão de guia de trânsito animal e nota fiscal. Contudo, o aceite no órgão de controle foi feito pelo homem que seria o gerente da fazenda.

Dessa forma, o pecuarista percebeu que, na verdade, o gado não pertencia à Agostinho, mas sim, ao homem que o recebeu no dia da inspeção. Ainda de acordo com o boletim de ocorrência, o pecuarista finalizou a negociação com Agostinho no mesmo dia em que pesou o gado, ficando apenas esperando a autorização do gerente da fazenda para fazer a marcação e o transporte dos animais.

Contudo, na sexta-feira (24.06), ao avisar que estava indo à fazenda para retirar os animais, a vítima foi informada que não poderia entrar na propriedade porque o homem que seria o gerente não teria recebido o pagamento de Agostinho.

Assim, a vítima percebeu que havia caído em um golpe porque o verdadeiro dono o gado teria o vendido para Agostinho que, por sua vez, o revendeu para ele. Sendo que o pagamento foi feito apenas para Agostinho, que não repassou o dinheiro para o dono real dos animais.

A vítima ainda relatou que a autorização para a retirada do gado foi feita pelo então gerente, mas que ele teria voltado atrás ao perceber que o pagamento não tinha caído em sua conta. Ainda não se sabe se o homem que se apresentou como Agostinho foi ouvido, mas o caso seguirá em investigação.