Ministro Moraes manda bloquear redes do PCO em 24h e partido reage: DITADOR - Caarapó Online

CAARAPÓ - MS, quinta-feira, 30 de junho de 2022


Ministro Moraes manda bloquear redes do PCO em 24h e partido reage: DITADOR

Legenda de extrema-esquerda é acusada de atacar o ministro do Supremo Tribunal Federal

Publicado em: 21/06/2022 às 10h50

Metrópolis

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou, na segunda-feira (20.06), o bloqueio em até 24 horas das redes sociais do Partido da Causa Operária (PCO), acusado de atacar ministros da Corte e investigado no âmbito do inquérito das fake news.

A legenda foi incluída por Moraes no inquérito no início do mês, no último dia 2. Na ocasião, o ministro já havia defendido o bloqueio dos perfis do partido no Facebook, Twitter, Telegram, Instagram, YouTube e Tik Tok. E ainda fixou multa diária de R$ 20 mil em caso de descumprimento.

O partido PCO entrou no alvo do relator do inquérito após atacar Moraes nas redes sociais. Também em 2 de junho, o partido afirmou que o ministro preparava um “golpe” contra as eleições. A sigla criticou o fato de o magistrado ter dito que os candidatos que divulgarem fake news com poder de influenciar o voto podem ter o registro para as eleições cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), do qual assumirá a presidência a partir de agosto deste ano.

“Em sanha por ditadura, skinhead de toga retalha o direito de expressão, e prepara um novo golpe nas eleições. A repressão aos direitos sempre se voltará contra os trabalhadores!”, escreveu o PCO em uma publicação no Twitter, que ainda pedia a dissolução do Supremo Tribunal Federal (STF).

Essa não é a primeira vez que o partido ataca o Poder Judiciário ou decisões que envolvam as eleições deste ano, ou expressa opiniões que são criticadas até mesmo por parte da esquerda. Em maio, o PCO acusou o STF de ser um “órgão ditatorial” por sua essência, e afirmou que não deveria “nem existir”. Já em agosto de 2021, o partido de extrema esquerda se juntou ao coro de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) e questionou a segurança das urnas eletrônicas, sem apresentar provas.

"O ditador Alexandre de Moraes determinou o fechamento das redes do PCO em 24h, sendo o descumprimento das ordens passível de multa. O STF se coloca não só em oposição a liberdade de expressão como de organização partidária. É uma corte inconstitucional que deve ser dissolvida", publicou o partido.

Segundo a legenda de extrema-esquerda, “falar não atenta contra a democracia”. “O direito à palavra é o cerne de qualquer regime democrático. Falar, denunciar e se opor ao abuso de poder não é atentar contra a democracia, é a alma do Estado Democrático de Direito”, enfatiza, além de defender “o fim do Supremo Tribunal Federal”.