Conab aponta recorde de 271,3 milhões de toneladas na safra de grãos 2021/2022 - Caarapó Online

CAARAPÓ - MS, domingo, 3 de julho de 2022


Conab aponta recorde de 271,3 milhões de toneladas na safra de grãos 2021/2022

Neste ano, o volume representa um incremento de 6,2% em comparação com a temporada 2020/2021, um acréscimo de 15,8 milhões de toneladas.

Publicado em: 09/06/2022 às 07h23

Alessandra Messias

O 9º Levantamento da Safra de Grãos divulgado hoje (08) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) revela recorde na safra 2021/2022 que deve alcançar 271,3 milhões de toneladas. Neste ano, o volume representa um incremento de 6,2% em comparação com a temporada 2020/2021, um acréscimo de 15,8 milhões de toneladas.

Nesta safra, o destaque é a recuperação de 32,3% na produção de milho. A primeira safra do cereal atingiu 24,8 milhões de toneladas. Já, a segunda safra do grão tende a registrar alta de quase 45% na comparação do ciclo de produção anterior, saindo de uma produção de 60,7 milhões de toneladas para 88 milhões de toneladas.

Em nota divulgada à imprensa, o presidente da Conab, Guilherme Ribeiro, explica que “a estimativa inicial da Companhia era de uma safra ainda maior quando, no primeiro levantamento, era esperada uma produção de 288,6 milhões de toneladas".

De acordo com ele, "mesmo com a redução na expectativa em 6,4%, os agricultores brasileiros serão responsáveis pela maior safra da série histórica. O bom desempenho ocorre mesmo em um ano em que as culturas de primeira safra, principalmente soja e milho, foram afetadas pelas condições climáticas adversas registradas na região sul do país e em parte do Mato Grosso do Sul".

O diretor de Informações Agropecuárias e Políticas Agrícolas da Conab, Sergio De Zen, explicou que ainda é preciso "acompanhar o desenvolvimento das lavouras, principalmente nos estados do Paraná e Mato Grosso do Sul. Nesses locais, a cultura se encontra em estágios de desenvolvimento em que o clima exerce grande influência no resultado final. Considerando a segunda safra, cerca de 25,5% do milho do país ainda está sob influência do clima”, justificou.

Milho

Publicado pela Conab, o estudo técnico Progresso de Safra desta semana, aponta que a colheita do cereal de 2ª safra está em fase inicial. Mato Grosso lidera entre os estados na colheita dos grãos.

Sergio De Zen revela que as primeiras lavouras têm apresentado bons rendimentos, pois "foram semeadas em período ideal". Mesmo com as geadas do mês de maio que atingiram os estados do Paraná, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais, a produtividade total não foi afetada, segundo ele. "O desempenho das lavouras, inclusive, melhorou nos estados paranaense e sul-mato-grossense, devido ao bom regime hídrico”.

Redução

Mesmo com as colheitas de arroz e soja quase finalizadas, a estimativa da Conab é de que o arroz deve atingir uma produção de 10,6 milhões de toneladas, volume 9,9% inferior ao produzido no ciclo anterior. No caso da soja, a Conab estima 124,3 milhões de toneladas produzidas. Índice 10,1% menor em relação à safra anterior.

A guerra da Ucrânia causou o encarecimento do trigo no mundo, e no Brasil, entre as culturas de inverno, destaque para o plantio do cereal que tem estimativa de 8,4 milhões de toneladas de produção, caso seja confirmado, a safra será recorde no país.

Exportações

No mercado internacional há maior demanda do milho brasileiro. Com previsão de alta de 7,15% no estoque de passagem do milho, a estimativa da Conab é que as exportações do grão devem crescer 77,8%, em comparação ao ano passado, a estimativa era de 37 milhões de toneladas.

As vendas da soja no mercado externo diminuíram. A previsão de embarque do grão foi atualizado para 75,23 milhões de toneladas. Para a safra que vai de agosto de 2021 a julho de 2022, é esperado um aumento de 5% nas exportações de trigo. Para a próxima safra de agosto deste ano a julho de 2023 é esperada alta de 50% na venda do trigo ao mercado externo. A comercialização deve passar de 1 mil toneladas para 1,5 mil toneladas.