Bolsonaro e Lula crescem com saída de Moro, mas Simone segue com apenas 1% - Caarapó Online

CAARAPÓ - MS, quinta-feira, 30 de junho de 2022


Bolsonaro e Lula crescem com saída de Moro, mas Simone segue com apenas 1%

Simone ainda não empolgou o eleitorado apesar dos elogios feitos por jornalistas e caciques do MDB, como Michel Temer e outros.

Publicado em: 24/04/2022 às 06h02


Nova pesquisa eleitoral divulgada pelo Instituto Ideia, divulgada pela revista Exame, mostra que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PL) cresceram com a saída da disputa do ex-juiz da Lava Jato, Sergio Moro (União Brasil). Cotada para ser a candidata da terceira via, a senadora Simone Tebet (MDB) continua empacada em 1% e sem encantar os eleitores apesar da ampla exposição na mídia.

Conforme a sondagem, realizada por telefone com 1,5 mil eleitores entre os dias 15 e 20 deste mês e com margem de erro de 3% para mais ou menos, Lula mantém a liderança com 42% no primeiro cenário. Bolsonaro tem 33% e reduziu a vantagem do petista de 13 para nove pontos percentuais.

Ciro Gomes (PDT) assumiu o terceiro lugar com 10%, seguido pelo ex-governador de São Paulo, João Doria (PSDB), com 3%, e cinco candidatos com 1%: Simone, Sofia Mazano (PCB), André Janones (Avante), José Maria Eymael (DC) e Leonardo Péricles (UP). Luiz Felipe D’Ávila (Novo) tem 0,5%, Vera Lúcia (PSTU) 0,3%), Luciano Bivar (União Brasil) 0,2% e Aldo Rebelo 0,1%. Nulos e brancos somam 1%, enquanto indecisos seriam 6%.

No segundo cenário, com a substituição do candidato do PSDB, Lula tem 43%, Bolsonaro 34%, Ciro 10%, o ex-governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), 4%, Simone, Eymael, Sofia e André seguem com 1%. Os demais pontuaram menos de 1%.

Em janeiro, Moro tinha 11% e acabou sendo rifado da disputa após trocar o Podemos pelo União Brasil. Com a saída do ex-juiz, Lula passou de 40% em março deste ano para 42% a 43% neste mês. Bolsonaro subiu de 29% para 33% a 34%. O petista segue na dianteira, mas a vantagem sobre o presidente caiu de 13% para 9%. Em janeiro do ano passado, Bolsonaro liderava com 36% contra 17% de Lula.

 

 

Os números são péssimos para Simone, que não consegue empolgar o eleitorado com o discurso de ser opção a polarização PT-PL. Os elogios do ex-presidente Michel Temer (MDB) e de algumas lideranças políticas, como o tucano Tasso Jeressaiti, e até de jornalistas não fizeram a emedebista deslanchar nas pesquisas.

Em janeiro, Simone tinha 0% na pesquisa da Exame/Ideia e chegou a 0,4% em fevereiro. Agora tem 1%. A princípio, ela só fica na frente de Bivar, o presidente do poderoso União Brasil, que tem 0,2%. Por outro lado, fica atrás de Doria (3%) e Leite (4%).

Ciro é o único que pontua dois dígitos, mas também não conseguiu se apresentar como opção, já que tinha 11% em janeiro do ano passado e segue com 10% na pesquisa deste mês.