Déficit Federal diminuiu 95%, foi de R$ 35 bilhões devido a inflação e menores despesas - Caarapó Online

CAARAPÓ - MS, sábado, 21 de maio de 2022


Déficit Federal diminuiu 95%, foi de R$ 35 bilhões devido a inflação e menores despesas

A expressiva redução é observada após o recorde histórico negativo registrado no ano de chegada da pandemia

Publicado em: 29/01/2022 às 10h09


Ajudado pelo impulso da inflação sobre a arrecadação federal e por uma contenção de despesas em relação ao ano anterior, o governo registrou um déficit de R$ 35 bilhões em 2021 -o que representa uma queda real de 95% em relação a 2020.

A expressiva redução é observada após o recorde histórico negativo registrado no ano de chegada da pandemia ao Brasil, quando o resultado havia ficado negativo em R$ 743,2 bilhões em meio à crise da Covid-19 -que provocou uma disparada dos gastos públicos e derrubou a arrecadação de impostos.

O déficit primário do ano passado, divulgado na sexta-feira (28.01) e que se refere ao governo central (o que abrange o Tesouro Nacional, a Previdência e o Banco Central), equivale a 0,4% do PIB (Produto Interno Bruto). É o melhor resultado desse indicador na série de resultados negativos iniciados em 2014.

Em termos reais, no acumulado no ano, a receita líquida registrou aumento de 21% (para R$ 1,5 trilhão).

Embora o resultado da arrecadação seja atualizado pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), boa parte dos números "escapa" desse ajuste. A inflação de 2021 ficou em 10,06%, mas os preços da gasolina, por exemplo, subiram 47,49%.

Outro ponto levantado por economistas é a mudança de comportamento consumidor durante a pandemia, mais voltado a produtos (mais tributados) do que serviços, por causa do isolamento social. Além do aumento das receitas, a despesa total do governo diminuiu 23% (para R$ 1,6 trilhão).

O Tesouro comemorou o resultado. "No segundo ano da pandemia, ainda executando políticas de combate aos seus efeitos econômicos e sociais, o governo conseguiu praticamente reequilibrar seu orçamento, promovendo um ajuste fiscal superior a 9 pontos percentuais do PIB", afirmou em nota.

De acordo com o Tesouro, o resultado consolidado do setor público a ser divulgado nos próximos dias e que considera também estados e municípios aponta um superávit acima de R$ 40 bilhões, "colocando o Brasil num seleto grupo de apenas 4 países que apresentam perspectiva de resultado positivo para o Governo Geral em 2021".