Taxa de letalidade da Influenza sobe mais uma vez e atinge 16,5% em MS - Caarapó Online

CAARAPÓ - MS, sábado, 21 de maio de 2022


Taxa de letalidade da Influenza sobe mais uma vez e atinge 16,5% em MS

Letalidade da Influenza é 6,9 vezes maior do que a da Covid-19

Publicado em: 28/01/2022 às 07h32


A taxa de letalidade da Influenza subiu para 16,5% na quinta-feira (27.01) em Mato Grosso do Sul, de acordo com dados do boletim epidemiológico divulgados pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). O percentual era de 16% na quarta-feira (26.01). Em 21 de janeiro de 2022, a taxa de letalidade era de 14,9%. Taxa de letalidade é a relação entre óbitos e casos confirmados.

A letalidade da Influenza é 6,9 vezes maior do que a da Covid-19 em Mato Grosso do Sul. A gerente Técnica de Influenza e Doenças Respiratórias, Livia de Mello Almeida Maziero, explica ao Correio do Estado que embora a Covid-19 e Influenza tenham sintomas semelhantes, há diferenças na assistência e contagem de casos.

“No caso da letalidade da Covid-19, ela é calculada com base em todo caso notificado - síndrome gripal ou SRAG hospitalizado do estado em relação ao número de óbitos, enquanto a letalidade por Influenza, é baseada somente em pacientes SRAG hospitalizados. Logo, a letalidade é maior pois o número total de casos é menor", detalhou.

De acordo com a SES, 9 pessoas foram notificadas com o vírus da gripe Influenza A (H3N2) e 3 morreram vítimas da doença nas últimas 24 horas em Mato Grosso do Sul.

Dentre as notificações, 3 são de Campo Grande, 3 de Três Lagoas, 1 de Itaquiraí, 1 de Paraíso das Águas e 1 de Ponta Porã. Com isso, o Estado totaliza 352 notificações e 58 óbitos por Influenza A (gripe H3N2) desde dezembro de 2021 em Mato Grosso do Sul.

Dados ainda mostram que homens (50,2%) se infectam mais de Influenza A do que mulheres (49,8%). Porém mulheres (69,4%) morrem mais de gripe do que homens (30,6%). Mortes ocorrem com maior incidência em pessoas acima de 60 anos. De acordo com a SES, Mato Grosso do Sul enfrenta uma epidemia de Influenza e pandemia de Covid-19 ao mesmo tempo.

O secretário de Estado de Infraestrutura e presidente do comitê do Programa de Saúde e Segurança na Economia (Prosseguir), Eduardo Riedel, afirmou que a circulação viral tanto de Covid-19, quanto de Influenza, causa prejuízo a saúde da população sul-mato-grossense.

A H3N2 é um subtipo do vírus Influenza A, causador da gripe. A gripe é transmitida por inalação ou contato com gotículas de saliva, secreções respiratórias ou superfícies contaminadas.

Sintomas

Os sintomas comuns da gripe H3N2 são:

Febre
Tosse seca
Dor de garganta
Coriza
Dor de cabeça
Dor muscular
Mal-estar

Transmissão

A transmissão da gripe A H3N2 se dá por inalação ou contato com gotículas de saliva, secreções respiratórias ou superfícies contaminadas. Portanto, a transmissão pode ocorrer por meio de:

Tosse
Espirro
Catarro
Apertos de mão
Contato pessoal próximo
Contato com objetos contaminados

Prevenção

Existem inúmeras formas de se prevenir o contágio e proliferação da gripe H3N2. Veja:

Vacinação
Uso de máscara
Uso de álcool gel
Lavagem das mãos com água e sabão
Evitar tocar nos olhos, nariz e boca
Não compartilhar objetos pessoais
Ventilar ambientes
Evitar aglomerações e espaços fechados