Idosa no RS, acorda pedindo socorro momentos antes do ser levada ao próprio velório - Caarapó Online

CAARAPÓ - MS, sábado, 29 de janeiro de 2022


Idosa no RS, acorda pedindo socorro momentos antes do ser levada ao próprio velório

O fato aconteceu em Cidreira. A moradora foi dada como morta pela unidade de saúde pública da cidade

Publicado em: 11/01/2022 às 07h40

Aline Brito

Um caso inusitado ocorreu em Cidreira, cidade do litoral norte do Rio Grande do Sul. Uma idosa despertou no necrotério do Posto 24h, momentos antes de ser levada para a funerária, gritando por socorro. Clotilde Rieck, 78 anos, foi dada como morta por uma equipe de três médicos da unidade de saúde.

A idosa chegou à unidade de saúde na manhã do dia 30 de dezembro após apresentar sinais de convulsão. No dia seguinte, 31 de dezembro, a senhora teria dado duas paradas cardíacas, encaminhada para a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e, alguns instantes depois, a equipe informou a família sobre o falecimento.

Então, os familiares iniciaram o procedimento para o enterro de Clotilde. Se dirigiram ao cartório para registrar o óbito, contataram uma funerária e, quando estavam escolhendo o caixão, receberam uma ligação do funcionário da funerária contanto sobre o equívoco.

Segundo informações apuradas pelo jornal GaúchaZH, o funcionário chegou ao necrotério do posto de saúde e viu Clotilde com um olho aberto e um braço levantado, como se estivesse pedindo socorro. A idosa foi, então, socorrida e levada ao Hospital Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre. Não há previsão de alta.

Esclarecimento

Após a repercussão do caso, a prefeitura de Cidreira emitiu um comunicado sobre o possível erro médico. O prefeito da cidade afirmou, em nota, que “no dia do acontecido não estava no Município, sendo informado através das redes sociais”. “No mesmo instante, contatei a diretora do Posto 24h para me inteirar dos fatos e determinei que fosse prestada toda assistência à paciente e seus familiares e que a médica fosse dispensada do seu plantão imediatamente”, contou o prefeito, Elimar Pacheco.

De acordo com o comunicado, a Administração Municipal, através da Secretaria Municipal de Saúde, está apurando o ocorrido, bem como a responsabilidade da médica que atestou o óbito da paciente. “Foi registrado também um boletim de ocorrência na Delegacia da Polícia Civil de Cidreira e exigido para que a empresa contratada afaste a profissional dos serviços prestados em nosso município”, garantiu a prefeitura.

ESCLARECIMENTO DE FATO OCORRIDO!

A cerca do episódio do possível erro médico ocorrido no Posto de Saúde Eva Dias de Melo em Cidreira, esclareço que no dia do acontecido não estava no Município, sendo informado através das redes sociais.

No mesmo instante, contatei a diretora do Posto 24h para me inteirar dos fatos e determinei que fosse prestada toda assistência à paciente e seus familiares e que a médica fosse dispensada do seu plantão imediatamente.

Salientamos que a Administração Municipal, através da Secretária Municipal de Saúde, está apurando o ocorrido, bem como a responsabilidade da médica que atestou o óbito da paciente.

Foi registrado também um boletim de ocorrência na Delegacia da Polícia Civil de Cidreira e exigido para que a empresa contratada afaste a profissional dos serviços prestados em nosso município.

Prefeito Elimar Pacheco