'Não apostem contra a economia brasileira', diz Paulo Guedes a investidores árabes - Caarapó Online

CAARAPÓ - MS, terça-feira, 7 de dezembro de 2021


'Não apostem contra a economia brasileira', diz Paulo Guedes a investidores árabes

Acompanhando o presidente Jair Bolsonaro, ministros afinam discurso para atrair os petrodólares ao Brasil.

Publicado em: 15/11/2021 às 07h05

Tainá Andrade

Os ministros da Economia, Paulo Guedes, e o ministro da Infraestrutura, Tarcisio de Freitas, afinaram o discurso para atrair investidores árabes, ontem, durante viagem ao Oriente Médio, com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O ministro Paulo Guedes, em Dubai, voltou a afirmar que a economia brasileira vai crescer no próximo ano e citou os investimentos em infraestrutura como garantia desse desempenho positivo. A missão presidencial "tem como objetivo buscar os petrodólares dos países árabes" para o Brasil, de acordo com o ministro.

Ele reforçou que o governo contabiliza cerca de R$ 700 bilhões em investimentos nos próximos anos e ainda criticou novamente as projeções pessimistas do mercado para o Produto Interno Bruto (PIB) de 2022. "Não apostem contra a economia brasileira que vai dar errado", disse Guedes, durante a abertura da feira Dubai Air Show.

"Fizemos uma expansão da infraestrutura com base em endividamento. Agora, nós vamos fazer com participação nos programas de investimento nossos, nas nossas parcerias de investimentos. O Brasil surpreendeu, tem surpreendido. Caímos menos, voltamos mais rápido, criamos mais emprego e estamos crescendo mais do que as economias avançadas. Mais uma vez as previsões vão ser equivocadas", declarou o ministro.

A análise dele é de que é quase impossível o país não vá crescer no ano que vem, apesar das estimativas de grandes bancos já apontarem recessão. Ao tentar minimizar o avanço da inflação e dos juros, Guedes disse que a melhora da economia já está "contratada". "O Brasil já tem contratados R$ 544 bilhões de investimentos. E com o 5G, são mais R$ 150 bilhões. Acho muito difícil o Brasil não crescer ano que vem", afirmou.

Ao contrário do que o ministro informou, a previsão da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), com o leilão do 5G, é inferior: de R$ 46,8 bilhões, incluindo as outorgas que serão pagas à União pelas operadoras.

Tarcísio Freitas, do MInfra, em Abu Dhabi, apresentou os projetos de concessões portuárias do governo aos fundos soberanos árabes após passagem pela Europa. "O setor portuário brasileiro mostrou o quanto é importante ao longo da pandemia e agora queremos que o investimento privado seja revolucionário para o incremento da logística. A parceria com a iniciativa privada é fundamental para transformar o país e é por isso que temos o maior programa de concessões do mundo, sem dúvida nenhuma", avaliou Freitas, que terá encontros com investidores até amanhã.

De acordo com informações da pasta, dois dos projetos de desestatizações portuárias disponíveis na carteira de ativos do órgão estão em estágio mais avançado: o da Codesa (Companhia Docas do Espírito Santo) e do Porto de Santos (SP). O primeiro está "em fase avançada" de análise no Tribunal de Contas da União (TCU) e, assim que for liberado, possibilitará a publicação do edital para o leilão. São estimados mais de R$ 780 milhões em investimentos. Quanto ao porto de Santos, o leilão está previsto para 2022 e o ministro prevê que os investimentos privados podem chegar a R$ 16 bilhões para a expansão.