MS investiu R$ 7,4 milhões em bolsas de pesquisa nos 59 cursos de pós-graduação - Caarapó Online

CAARAPÓ - MS, terça-feira, 7 de dezembro de 2021


MS investiu R$ 7,4 milhões em bolsas de pesquisa nos 59 cursos de pós-graduação

Pesquisa do Confap mostra que o Estado é o que mais investe em bolsas de doutorado com recursos estaduais

Publicado em: 04/11/2021 às 05h38

Thais Libni

Em cinco anos, o governo de Mato Grosso do Sul investiu R$ 7,4 milhões em bolsas de pesquisa científica para 59 cursos de pós-graduação de 5 universidades do Estado.

Dados de outubro de 2021, mostram que a Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia (Fundect) atende 418 bolsistas, sendo 75 de mestrado, 52 de doutorado e 7 de pós doutorado, além de outras modalidades.

As universidades que receberam o investimento são; Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e Universidade Anhanguera Uniderp.

Segundo o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) mostram que o Estado é o que mais investe em bolsas de doutorado com recursos estaduais por meio da Fundect. Mato Grosso do Sul é o segundo maior investidor do País.

Na avaliação do diretor-presidente da Fundect, Prof. Márcio de Araújo Pereira, esta posição é fruto do investimento em editais de mestrado nos últimos cinco anos.

Destaque em Pesquisadores

Mato Grosso do Sul tem 43 pesquisadores entre os 10 mil cientistas mais influentes da América Latina. O ranking, chamado “Latin America Top 10.000 Scientists – AD Scientific Index 2021 – Version 1”, se baseou no desempenho científico e no valor agregado da produtividade científica individual para apresentar os nomes.

No Estado, os profissionais são das universidades; UFMS, UEMS, UFGD e UCDB. Pela UFMS, foram citados 29 pesquisadores; da UEMS, 4 cientistas foram incorporados ao ranking; da UFGD, 9 professores; e 1 da UCDB.

O ranking de pesquisadores mais influentes foi desenvolvido usando os seguintes critérios:

índice i10 (número de publicações com, no mínimo, 10 citações);
índice h (proposto para quantificar a produtividade e o impacto de pesquisas individuais ou em grupos, baseando-se nos artigos mais citados);
pontuações de citação no Google Scholar.

Os índices têm por objetivos observar a evolução da atuação individual do cientista quanto aos reflexos das políticas institucionais das universidades e no quadro científico geral.

Confira os pesquisadores de Mato Grosso do Sul citados na pesquisa entre os mais influentes da América Latina:

Alessandra Gutierrez de Oliveira;
Eliane Vianna da Costa e Silva;
Maria Ligia Rodrigues Macedo;
Camilo Henrique Silva;
Giuseppe A Câmara;
Jean Pierre Oses;
Gustavo Graciolli B;
Erich Fischer;
Edgar Julian Paredes Gamero;
Ricardo Antônio Amaral de Lemos;
M Janete Giz;
Daniel Boullosa;
Roberto Ruller;
Samuel L Oliveira;
Nalvo Franco Almeida Jr (UFMS);
Anamaria Paniago;
Janaina Sardi;
Luis Carlos Vinhas Itavo;
Walmir Silva Garcez (UFMS);
Paula Felippe Martinez;
Rodrigo Juliano Oliveira;
Paulo Tarso S Oliveira;
Franco L Souza;
Valdir Souza Ferreira;
Teodorico Alves Sobrinho (UFMS);
Gustavo Christofoletti;
Fernando Paiva (UFMS);
Gilberto Maia;
Amilcar Machulek Junio(UFMS).
Rodrigo Garófallo Garcia (UFGD);
Marcos Antônio da Silva;
Sandro Menezes Silva;
Maria do Carmo Vieira (UFGD);
Edson Lucas dos Santos;
André Luís Duarte Goneli;
Silvana de Paula Quintão Sacalon (UFGD);
Antônio Carlos Tadeu Vitorino (UFGD);
Fabrício Fagundes Pereira.
Sandro Marcio Lima;
Cláudia Andréa Lima Cardoso;
Luís Humberto da Cunha Andrade;
Márcia Regina Martins Alvarenga.
Reginaldo Brito da Costa.