Manifestantes pró-governo enchem Esplanada; os protesto contra tem movimento baixo - Caarapó Online

CAARAPÓ - MS, quinta-feira, 20 de janeiro de 2022


Manifestantes pró-governo enchem Esplanada; os protesto contra tem movimento baixo

No início desta manhã (7/9), era pouco o movimento de manifestantes contra o governo, entre a Torre de TV e a Funarte

Publicado em: 07/09/2021 às 08h29

Pedro Marra

As manifestações deste 7 de setembro começaram com grande movimentação de manifestantes pró-governo na Esplanada dos Ministérios, onde o grupo vai se concentrar. A maioria das pessoas estava sem máscara de proteção contra a covid-19, e alguns tocavam buzinas enquanto andavam rumo ao Congresso Nacional.

Cerca de 100 mil pessoas se preparam para marcar presença no protesto. O bloqueio policial próximo à Rodoviária do Plano Piloto conta com cinco viaturas da Polícia Militar do DF, que deve ter 5 mil militares para garantir a segurança da área central de Brasília-DF.

Por volta das 7h, seis ônibus da Polícia Militar do DF passaram perto da Rodoviária do Plano Piloto rumo à Esplanada dos Ministérios para reforçar o efetivo de policiais. Por volta das 20h dessa segunda-feira (06.09), manifestantes ultrapassaram o bloqueio policial antes de 0h, horário combinado anteriormente.

O produtor rural Ricardo Ribeiro, 48 anos, veio de Pitangui (MG) de ônibus para marcar presença na manifestação a favor do governo. "A expectativa é boa, de que a gente supere o momento político. Viemos de longe para apoiar mesmo e marcar presença. Esperamos que o rumo da política mude", comenta o mineiro.

O vizinho de Ricardo, que também é produtor rural Carlos Moreira, 61, espera uma manifestação sem confusão. "Espero que seja pacífico (o protesto). Vamos ficar mais por aqui na Esplanada por questão de segurança, sem querer invadir a outra manifestação", afirma o ruralista.

Segundo policiais, uma mulher subiu a pé com um saco branco de pedras na mão para entrar na Esplanada. Ela entrou por meio do viaduto abaixo da via S1, mais precisamente na L2, mas foi impedida pelo bloqueio dos PMs, que apreenderam a sacola com as pedras.

Na Torre de TV onde será realizado o Grito dos Excluídos - movimento que está completando 27 anos - nas primeiras horas da manhã o vai e vem de pessoas foi tranquilo. A comerciante Rosilene Matheus, 58 anos, chegou às 5h da manhã para abrir a loja de alimentos e aguarda o público que manifestará a favor da esquerda. “Hoje está sendo um dia atípico, então espero que eu consiga alcançar meus objetivos, não o meu particular, mas o da nação em si. Independente de quem está no poder ou de quem está fazendo oposição, eu torço por um país melhor”, ressaltou. A moça tem autorização provisória do GDF e está no mesmo ponto há um ano.

O coordenador do Partido da Causa Operária (PCO) Renan Arruda, 56 anos, chegou por volta das 6h para montar o ponto de concentração do grupo. “Estamos com uma boa expectativa, pois fizemos uma convocação geral da esquerda. Nossa palavra de ordem central é “Fora Bolsonaro'' e pedimos por vacina, por auxílio emergencial de verdade, por empregos e apoiamos a população indígena que estará conosco neste dia”, comentou o líder.