Sábado, 4 de dezembro de 2021

Capital de MS (Campo Grande) institui passaporte da vacina para eventos públicos

Município flexibilizou as medidas de restrição para festas, bares e shows em Campo Grande

Publicado em: 18/09/2021 às 08h35


A prefeitura municipal de Campo Grande (MS), instituiu o “passaporte da vacina” a ser utilizado em Campo Grande para quem participar de eventos. De acordo com o prefeito Marcos Trad (PSD), o decreto seria publicado em edição extra do Diário Oficial da Capital na quinta-feira (16.09), mas até o início da noite de quinta-feira, o documento não havia sido disponibilizado.

A expectativa é que a nova resolução tenha sido divulgada na sexta-feira, flexibilizando as medidas de restrição e implementando a necessidade de apresentar o comprovante de vacinação para participar de festas, shows e todos os eventos privados realizados na Capital.

A instituição do passaporte da vacina era uma medida que vinha sendo discutida em Mato Grosso do Sul para, de alguma forma, ajudar na aceleração da vacinação, já que as vacinas foram disponibilizadas para todas as idades, mas algumas pessoas insistem em não se vacinar.

“Nós reunimos nosso grupo técnico que sempre deliberou decisões sobre a Covid-19, esse grupo restringia ações em alguns momentos durante a pandemia e outros momentos flexibilizavam tudo baseado no quadro da cidade”, explicou o prefeito Marcos Trad.

Além do passaporte, a prefeitura também flexibilizou medidas em geral, como a lotação máxima em eventos, festas, restaurantes, bares, igrejas e cinema. Porém, sempre com a utilização de máscara e manutenção das medidas de biossegurança.

“As medidas consideram o aumento do número de vacinados, que supera 90% da primeira dose e se aproxima de 60% da segunda dose, considerando também a diminuição da taxa de contágio, considerando também a desocupação de leitos de UTI [Unidade de Terapia Intensiva], sem nenhum internado com Covid na Cassems e o mesmo sucedendo em outros hospitais, e considerando uma conscientização maior da sociedade no uso de equipamentos de proteção individual esse grupo decidiu as seguintes deliberações”, explicou o prefeito.

Conforme o documento, eventos de iniciativa privada podem utilizar até 100% da capacidade do local. Em caso de exceder a capacidade do local o estabelecimento será multado e fechado e imediatamente. “Esses eventos ficam facultados a apresentação do comprovante de vacinação”, disse o prefeito.

Em teatros, cinemas e em todos os locais é obrigatório o uso da mascará, bem como a disponibilidade do álcool em gel. Igrejas e templos seguem a mesma regra. No caso das igrejas, o distanciamento de uma cadeira não será mais obrigatório.

Para o médico infectologista e pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Rivaldo Venâncio, a medida já vem sendo usada em outros locais, como São Paulo e Rio de Janeiro, e deve ser seguida por outras localidades como forma de conter a doença. “Para eventos nesse momento, no País inteiro tem sido solicitado a comprovação da vacinação completa e exame negativo de Covid-19.

O jogo de quarta-feira entre Flamengo e Grêmio foi assim e acredito que todos os lugares devem seguir o mesmo caminho, é um incentivo para que as pessoas procurem se vacinar, ainda há pessoas que não completaram a vacinação”, disse Venâncio. Segundo o infectologista, além dos eventos, a medida poderia ter sido mais ampla, prevendo a apresentação em locais fechados e de uso comum, como academias, igrejas e centros comerciais.

A nível estadual, a medida está sendo estudada, mas ainda não foi efetivamente instituída. Além de Campo Grande, a cidade de Chapadão do Sul também havia aplicado a medida. “Sempre é melhor quando essas decisões são tomadas como forma de política ampla [atingindo todo o Estado], mas se não é possível, que se faça em algumas cidades para que haja um controle maior”, completou o infectologista.