Segunda-feira, 19 de abril de 2021

Coronavac: Anvisa aponta irregularidades em fábrica da vacina Sinovac, na China

Inspeção na fábrica chinesa, que foi encerrada em 4 de dezembro, apontou pontos fora do padrão de desenvolvimento de vacinas

Publicado em: 12/12/2020 às 06h29


Durante inspeção na fábrica chinesa da Sinovac Biotech, que produz a Coronavac, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) conta com alguns pontos fora do padrão exigidos no Brasil. Segundo o blog de Matheus Leitão, na Revista Veja, a farmacêutica asiática foi avaliada como “muito moderna”, mas não atenderia aos requisitos exigidos para a regularização da vacina.

As falhas seriam em aspectos mínimos, mas há pontos de maior complexidade que devem ser atendidos para que a imunização seja registrada no país. A inspeção da Anvisa à farmacêutica chinesa foi feita na semana passada. Foram avaliadas as estruturas físicas das áreas de produção, o armazenamento e laboratórios de controle de qualidade, as questões de transporte e conservação, além de toda a documentação do Sistema de Garantia de Qualidade (SGR) da empresa.

O Instituto Butantan, que atua com a Sinovac Biotech na produção da vacina, vai receber um relatório da Anvisa nos próximos dias com os detalhes a respeito. O órgão paulista terá de esclarecer as dúvidas em até cinco dias úteis.

O relatório apontará se a farmacêutica tem ou não boas práticas de fabricação. A mesma inspeção está sendo feita, nesta semana, na planta da AstraZeneca, de onde sairão insumos para fabricação do imunizante de Oxford em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiiocruz), aposta do governo Jair Bolsonaro para o Plano Nacional de Imunização (PNI).

O governo de São Paulo anunciou a compra de 46 milhões de doses da Coronavac e estipulou o início da vacinação para 25 de janeiro. Mas, com as irregularidades, a tendência é que a imunização seja adiada.