Segunda-feira, 19 de abril de 2021

Média de positivos por teste 'ouro' indica covid-19 ainda alta em Campo Grande (MS)

Número diário de casos confirmados após exame RT-PCR saltou 15% nos últimos 14 dias

Publicado em: 24/08/2020 às 07h01


A SES (Secretaria Estadual de Saúde) apresentou dados durante transmissão ao vivo no domingo (23.08) que contrariam a hipótese de que a pandemia de covid-19 estaria arrefecendo em Campo Grande. Segundo a pasta, a média diária de diagnósticos positivos para a doença via teste RT-PCR só aumenta.

De acordo com a SES, o exame identificou 202 pessoas com covid-19 por dia na Capital durante a 33ª semana epidemiológica, entre 9 e 15 de agosto. O resultado é 15,1% maior que o constatado 14 dias antes, quando a média móvel diária era de 176 diagnósticos positivos.


O teste RT-PCR é considerado “padrão ouro” por detectar a infecção em sua fase inicial. A coleta é nasal, feita por swab, espécie de cotonete mais comprido que o comum. As amostras colhidas na rede pública de Saúde são processadas no Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública) e laboratórios parceiros.


Por outro lado, o teste rápido não serve para diagnosticar a doença, uma vez que rastreia anticorpos para o Sars-CoV-2 após, no mínimo, oito dias de infecção. O método, com coleta de sangue como em testes de glicemia, é indicado para identificar quem já teve a doença, mas manifestou sintomas leves ou nenhum sintoma.


Conforme boletim da SES, 55,5% dos casos confirmados na Capital foram por exame padrão ouro. Outros 32,1% foram por teste rápido e 12,3% por sorologia (também a partir de amostra de sangue).


Casos por semana - Outro número apresentado pela SES que rebate a teoria de trégua da covid-19 na Capital é o número de novos casos na última semana, entre 16 e 22 de agosto, com 2.672 registros. O resultado é o segundo pior para a cidade e 19,7% maior que o total constatado há duas semanas.

 

A comparação com intervalo de tempo 14 dias anterior é a mais indicada por médicos epidemiologistas para medir a evolução da doença, pois reproduz o período médio de incubação do vírus no corpo humano.


Em número de mortes pelo novo coronavírus, a 34ª semana epidemiológica teve aumento tímido em relação a 32ª - de 42 óbitos entre 2 e 8 de agosto, para 43 registrados entre os dias 16 e 22. No balanço da pandemia, Campo Grande já soma 18.379 casos confirmados de covid-19, além de 287 óbitos.