Marçal Filho deve ser candidato do governo à prefeitura de Dourados (MS) - Caarapó Online

Caarapó - MS, segunda-feira, 25 de maio de 2020


Marçal Filho deve ser candidato do governo à prefeitura de Dourados (MS)

Marçal deve ser candidato do governo à prefeitura e abrir brecha para 3º deputado do DEM na AL

Publicado em: 31/03/2020 às 08h05

Adriano Moretto

Parado – As incertezas e recomendações sobre o coronavírus que já contaminou 44 pessoas em Mato Grosso do Sul até o momento, deixou a corrida à prefeitura de Dourados em segundo plano. Sem debates nos plenários e a proibição de encontros para evitar aglomerações, pré-candidatos estão praticamente parados, aguardando o desenrolar dos fatos.


Por fora - Se a campanha por contato físico permanece parada, nos bastidores ela ferve e é cada vez maior a possibilidade do deputado estadual e radialista Marçal Filho (PSDB) ser o candidato do governo à prefeitura de Dourados. Sem conseguir emplacar, o colega de Casa e ex-líder do Executivo na Assembleia, José Carlos Barbosa, o Barbosinha (DEM), estaria fora dos planos da gestão estadual.


Aviso - Marçal Filho já teria até recebido a missão por parte do PSDB e ainda avalia a situação. Caso a situação se concretize, teria apoio do próprio DEM, que indicaria o vice na chapa - repetindo a dobradinha estadual - e ainda, em caso de vitória do deputado tucano, conseguiria emplacar um terceiro parlamentar na Assembleia, desde que para isso os suplentes diretos ao radialista - Mara Caseiro, Dione Hashioka e Enelvo Felini, sejam mantidos em seus respectivos cargos, caindo a vaga ‘no colo’ do vereador por Campo Grande André Salineiro, que troca o ninho tucano pelo Democratas nessa janela.


Trio - Com isso, o DEM aumentaria a sua bancada na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, que atualmente conta com Zé Teixeira, que segundo conversas não irá mais concorrer e o próprio Barbosinha.


Desalinhado – Enquanto em Dourados e no Estado as ações e discursos contra o coronavírus segue um alinhamento natural entre os membros dos governos, a nível federal reflete um desacerto incrível com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) teimando em continuar ignorando as medidas recomendadas pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta e sua equipe.


Ataques – Estranha ainda o fato de, em meio esse atrito público entre as partes, ministro e presidente mostrarem entrosamento apenas para criticar e atacar a imprensa, tentando colocar quem informa e leva dados reais à população, como a vilã da pandemia.


Divisão de Salário – A pandemia do coronavírus vai fazer a prefeitura de Dourados dividir o pagamento do funcionalismo público para evitar aglomerações em caixas eletrônicos das agências bancárias.