Mortes pelo novo coronavírus sobem para 59 no Brasil; são 2.555 casos - Caarapó Online

Caarapó - MS, domingo, 29 de março de 2020


Mortes pelo novo coronavírus sobem para 59 no Brasil; são 2.555 casos

Mortes pelo novo coronavírus sobem para 59 no Brasil; são 2.555 casos

Publicado em: 26/03/2020 às 07h56

Grupo Globo

As secretarias estaduais de Saúde divulgaram, até 21h30 de quarta-feira, dia 25 de março, 2.555 casos confirmados do novo coronavírus (Sars-Cov-2) no Brasil com 59 mortos. O Rio de Janeiro registra oito mortos e São Paulo, 48. Amazonas, Pernambuco e Rio Grande do Sul registraram mortes pela Covid-19.


O Ministério da Saúde atualizou seus números na tarde desta quarta-feira (25.03), informando que o Brasil registra 2.433 casos confirmados do novo coronavírus e que já foram registradas 57 mortes - os dados ainda não foram atualizados por todas as secretarias de saúde estaduais.


Na manhã desta quarta-feira (25), Pará chegou a sete casos confirmados e Minas Gerais registrou mais três casos, contabilizando 133 infectados. Já a Bahia tem 84 casos confirmados. O Distrito Federal registrou cinco novos casos e totaliza 182 infectados. O Rio de Janeiro, agora, registra um total de 270 casos da doença e, São Paulo, 862.


Também na quarta, a prefeitura de Porto Alegre confirmou a primeira morte pela Covid-19 no Rio Grande do Sul. Paciente era uma mulher de 91 anos que estava na UTI. O caso foi confirmado pela secretaria de saúde do estado e pelo Ministério da Saúde.


Bolsonaro contraria especialistas e pede fim do "confinamento em massa"


Contrariando tudo o que especialistas e autoridades sanitárias do país e do mundo inteiro vêm pregando como forma de evitar que o novo coronavírus se espalhe, o presidente Jair Bolsonaro criticou o pedido para que todas aqueles que possam fiquem em casa em pronunciamento na noite desta terça-feira (24), em rede nacional de televisão. Bolsonaro culpou os meios de comunicação por espalharem, segundo ele, uma sensação de "pavor". E disse que, se contrair o vírus, não pegará mais do que uma "gripezinha".


O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), divulgou uma nota na qual classificou a fala de Bolsonaro como "grave" e disse que o país precisa de uma "liderança séria". Já o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que o pronunciamento "foi equivocado ao atacar a imprensa, os governadores e especialistas em saúde pública".


Consultado, o Ministério da Saúde informou que não vai se posicionar sobre o pronunciamento do presidente.


Coronavírus pelo mundo


Os Estados Unidos anunciaram na madrugada desta quarta-feira (25) um acordo federal de US$ 2 trilhões para aliviar as consequências da pandemia do coronavírus Sars-Cov-2 sobre a economia do país. O pacote de estímulo deverá auxiliar trabalhadores, empresas e o sistema de saúde.


No Reino Unido, autoridades palacianas divulgam que o teste do príncipe Charles para o Covid-19 deu positivo. Ele tem sintomas leves, segundo comunicado.