Bolsonaro manda fechar por sete dias parques e unidades de conservação - Caarapó Online

Caarapó - MS, terça-feira, 7 de abril de 2020


Bolsonaro manda fechar por sete dias parques e unidades de conservação

Pandemia de Covid-19 fez o Ministério do Meio Ambiente e ICMBio anunciar medida

Publicado em: 18/03/2020 às 07h03

Agência Brasil

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) anunciou na terça-feira (17.03) que está suspensa, por uma semana, a visitação pública em todos os parques nacionais e demais unidades federais de conservação. A medida que vigora a partir de terça (17.03) é uma determinação do presidente Jair Bolsonaro, motivada pela pandemia da Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus.


“A medida atende orientações do Ministério da Saúde e visa contribuir para a segurança da população neste momento em que é necessário evitar aglomerações”, explicou, em nota, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), autarquia vinculada ao MMA.


No Brasil, 234 casos da doença foram confirmados e 2.064 estão em investigação.


A suspensão das visitações que pode ser prorrogada atinge em cheio o setor turístico de alguns estados. E foi anunciada pelo por meio de ofícios circulares do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio)a prefeituras, associações e prestadores de serviço de atividades de visitação dos parques nacionais e unidades de conservação federais.


Uma das áreas atingidas entre Alagoas e Pernambuco é a Área de Proteção Ambiental (APA) Costa dos Corais, com a suspensão de visitações às piscinas naturais da região de Maragogi (AL), por exemplo, mergulhos na região e passeios de observação do peixe-boi em Porto de Pedras (AL). Além de demais atividades turísticas no interior da unidade de conservação.


O ofício do ICMBio dirigido à APA Costa dos Corais também suspende atividades educativas na Reserva Biológica de Saltinho (PE). E pede apoio às prefeituras e instituições que atuam direta e indiretamente para comunicar a decisão aos visitantes e prestadores de serviços, com o argumento de que é dever de todos zelar pela saúde da coletividade e dos mais suscetíveis.