Athletico acerta com Rony para fechar venda ao Palmeiras - Caarapó Online

Caarapó - MS, quinta-feira, 22 de outubro de 2020


Athletico acerta com Rony para fechar venda ao Palmeiras

Clube define todas as bases com representantes do jogador. Rony segue para São Paulo no final de semana e fecha contrato até 2024.

Publicado em: 22/02/2020 às 07h33

Globo Esporte

Em mais uma reviravolta, o atacante Rony se despede do Athletico para defender o Palmeiras. Os representantes do jogador entraram em acordo com o Athletico sobre as bases para a negociação com o Palmeiras. A assinatura do contrato está prevista para os próximos dias, e o jogador viaja para São Paulo no fim de semana.


Para poder acertar com o Palmeiras, o Athletico entrou em um acordo com o grupo de coordenação do atacante, que vai pagar 1,5 milhão de euros pela transferência e a divisão dos percentuais. O atacante irá assinar um contrato com o time paulista até dezembro de 2024.


A contratação de Rony foi definida em 6 milhões de euros por 50% do jogador, como foi adiantado pelo blog. O valor será parcelado em quatro anos e ainda será abatido da dívida do atacante Carlos Eduardo (1 milhão e 200 mil).


A divisão dos percentuais deverãao ficar assim: Palmeiras com 50% (cedendo posteriormente em contrato com o jogador 10% a Rony), Athletico com 35% e Rony com 15% (posteriormente somando os 10% dados pelo Palmeiras – fica com 25% em uma futura venda).


Além disso, o Palmeiras dará uma compensação financeira ao atacante. A negociação do zagueiro Pedrão está sendo também concretizada, mas não será ligada a ida de Rony.


Rony fez seu primeiro e último jogo do ano pelo Athletico na decisão da Supercopa contra o Flamengo, quando o clube acenava manter o atleta. Antes ele estava treinando com o time B, enquanto Palmeiras e Corinthians disputavam o jogador.


A venda não foi uma unanimidade dentro da diretoria, do departamento de futebol e da comissão técnica do Athletico. Afinal, uma renovação de contrato com o clube chegou a ser acordada, um novo contrato foi inclusive redigido. Mas a participação do presidente Mario Celso Petraglia na venda foi o fator preponderante.