Após suspeitas de casos de coronavírus no Paraguai, MS entra alerta - Caarapó Online

Caarapó - MS, quinta-feira, 28 de maio de 2020


Após suspeitas de casos de coronavírus no Paraguai, MS entra alerta

Ministro brasileiro orientou que pessoas evitem viajar à China

Publicado em: 30/01/2020 às 07h27

Correio

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) de Mato Grosso do Sul reforçou o alerta para os municípios sobre o coronavírus. Na quarta-feira (29.01), o Ministério da Saúde do Paraguai anunciou que investiga um caso suspeito da doença.

De acordo com o jornal ABC Color, o paciente esteve na China, onde a nova variação do vírus surgiu, com um grupo de 35 pessoas. Desse grupo, 13 já foram liberados enquanto os outros seguem em observação.

A diretora de Vigilância em Saúde da SES, Larissa Castilho, disse que foi enviada nota técnica para os municípios do Estado reforçando o alerta. "Estamos monitorando a situação desde o começo", explicou, ressaltando que a pasta está seguindo as orientações do Ministério da Saúde.

A Secretaria Municipal de Saúde de Ponta Porã, cidade que faz fronteira com o Paraguai, também está em alerta. A orientação da SES é que esta e as outras cidades notifiquem imediatamente casos suspeitos.


CASOS NO BRASIL

Na quarta-feira (28.01), o Ministério da Saúde publicou o primeiro boletim epidemiológico do coronavírus, que aponta um caso suspeito em Minas Gerais, que também registrou duas notificações e descartou outro. Rio de Janeiro, São Paulo e Santa Catarina notificaram e descartaram outros dois, enquanto Rio Grande do Sul e Distrito Federal registraram e excluíram um cada. As demais unidades da Federação não tem notificações.


O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta orientou que as pessoas evitem viajar para a China, onde o vírus se originou. "Nós desaconselhamos e não proibimos as viagens para a China. Não se sabe, ainda, qual é a característica desse vírus que é novo; sabemos que ele tem alta letalidade. Não é recomendável que a pessoa se exponha a uma situação dessas e depois retorne ao Brasil e exponha mais pessoas. Recomendamos que, não sendo necessário, que não se faça viagens, até que o quadro todo esteja bem definido", explicou.


Ações de higiene comuns para evitar outros vírus também são válidas para o coronavírus. "Lavar as mãos, evitar espirrar e tossir sem proteger a pessoa que está na sua frente, evitar tocar nos olhos, nariz, boca e evitar tocar pessoas que estejam doentes, pode prevenir. Além disso, é sempre bom ficar em casa se estiver doente para não expor outras pessoas. São orientações típicas de prevenção de vírus", finalizou Mandetta.


Para o titular da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) de Campo Grande, José Mauro de Castro Filho, a situação é complexa e bastante nova para as autoridades. "Estamos seguindo as recomendações do ministério. São estratégias como o do surto de ebola", ressaltou o secretário, citando o surto do vírus que circulou entre 2014 e 2015.


A Capital chegou a atender uma jovem que passou pelo Japão na última semana, mas segundo Castro Filho, a paciente não tinha sintomas compatíveis e o caso não chegou a ser registrado.