Chico Mendes e a fundação no Acre que está com problemas (vídeo) - Caarapó Online

Caarapó - MS, quarta-feira, 21 de outubro de 2020


Chico Mendes e a fundação no Acre que está com problemas (vídeo)

Filha de Chico Mendes em entrevista mostra a situação

Publicado em: 15/12/2019 às 16h03

Fabio Pontes

Após ter perdido a vida numa tocaia no quintal de sua casa em 22 de dezembro de 1988, o líder seringueiro acreano Chico Mendes agora também tem suas ideias e legado vítimas de uma tentativa de exterminação. Esta é a análise feita pela filha mais velha de Chico, Ângela Mendes.

Atualmente atuando como ativista ambiental e presidindo o Comitê Chico Mendes, Ângela tem um trabalho de organizar os movimentos sociais para assegurar a sobrevivência das ideais propagadas por seu pai durante a luta de resistência em defesa da floresta durante as décadas de 1970 e 1980 nos seringais de Xapuri.

Um dos trabalhos desenvolvidos por ela é com jovens moradores da Reserva Extrativista Chico Mendes, para conscientizá-los sobre a importância de se dar continuidade às lutas iniciadas por seus pais e avós no passado em defesa da floresta.

Para ela, as atitudes praticadas pelas atuais lideranças políticas do Acre e do Brasil são uma forma de assassinar este legado. Entre as causas defendidas por Chico Mendes estava a conciliação entre desenvolvimento econômico com respeito à floresta.

“Estão tentando, mais uma vez, assassinar as conquistas de meu pai e de seus companheiros e companheiras. A gente vê com muita preocupação tudo isso, essa desconstrução, desmantelamento das políticas públicas, deste legado do Chico Mendes”, afirma ela.

Nesta entrevista ao jornalista Leonildo Rosas, Ângela Mendes fala um pouco sobre o atual cenário político e as ameaças a que as populações tradicionais (incluindo as extrativistas) estão submetidas neste novo momento político no Acre.

A partir deste domingo, 15, tem-se início a Semana Chico Mendes, que entre seus objetivos está justamente manter viva a herança de luta do líder seringueiro. A semana se encerra no próximo dia 22, quando são lembrados os 31 anos do assassinato de Chico Mendes.

Assista à entrevista e veja a programação