Curso de Direito da UFGD recebe o Selo 'OAB Recomenda' - Caarapó Online

Caarapó - MS, sábado, 14 de dezembro de 2019


Curso de Direito da UFGD recebe o Selo 'OAB Recomenda'

Curso de Direito da UFGD recebe Selo OAB Recomenda atestando assim a alta qualidade do curso em Dourados(MS)

Publicado em: 03/12/2019 às 09h50

Assessoria

O curso de Direito da UFGD recebeu, na semana passada, o Selo OAB Recomenda que representa um reconhecimento público da qualidade das graduações em Direito no Brasil, combinando o desempenho no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE/INEP) e o índice de aprovação no Exame de Ordem. O Selo foi recebido pelo professor e coordenador do curso, Tiago Botelho, na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em Campo Grande(MS).


Em Mato Grosso do Sul, o curso de Direito da UFGD está entre as cinco graduações de universidades públicas com Selo OAB Recomenda. Para o docente, é a prova real de que a Universidade tem seu diferencial pedagógico e segue distante da lógica mercadológica.


“A obtenção do Selo OAB Recomenda pela UFGD é uma dupla vitória, pois comprova que a universidade pública prima pela excelência do ensino. O Selo projeta o curso de Direito da UFGD em nível nacional, pois o insere entre os 161 melhores cursos do Brasil que atendem à excelência, regularidade e qualidade mínimas compatíveis com as expectativas da OAB e da sociedade brasileira”, destacou.


Em 2020, o bacharelado em Direito da UFGD completará 20 anos de existência. Já são duas décadas em que professores, técnicos e acadêmicos dedicam suas biografias à construção de um curso que se solidifica como patrimônio de Dourados, de Mato Grosso do Sul e do Brasil.


O SELO OAB RECOMENDA


O Selo OAB Recomenda foi instituído em 2001. Na edição deste ano, dos 1.212 cursos que atenderam às exigências para participar da pesquisa, foram somente 161 os premiados com o Selo. A comenda constitui um serviço público prestado à sociedade pela OAB e é um manifesto em defesa da cidadania brasileira, que será mais fortalecida na proporção em que mais capacitados forem os profissionais encarregados de defender seus direitos.