Última semana antes do Enem é de nervosismo nas escolas - Caarapó Online

Caarapó - MS, sábado, 24 de outubro de 2020


Última semana antes do Enem é de nervosismo nas escolas

Nesta reta final, seguir alguns cuidados é essencial para não jogar um ano inteiro de estudos no lixo

Publicado em: 29/10/2019 às 08h01

Ana Palma

Faltando menos de uma semana para a primeira prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) de 2019, que será no dia 03 de novembro, alunos de um cursinho preparatório de Campo Grande estão confiantes para a realização do exame, porém o nervosismo ainda afeta o lado emocional dos estudantes e interfere na total preparação.


Em uma escala de zero a dez, a confiança atinge a nota oito. Para ajudar no lado emocional dos alunos, o coordenador e professor dos cursos preparatórios do Dom Bosco, em Campo Grande (MS), Fernando ‘Barney’ realizou na semana passada uma aula diferenciada. Convidou um ex-aluno, que atualmente é médico, para conversar com os estudantes sobre a ansiedade pré-prova. “A parte emocional, a ansiedade, o nervosismo e o estresse são fatores que acabam bloqueando a mente do aluno. Os jovens que fazem cursinho, principalmente aqueles que já terminaram o ensino médio, tem uma cobrança ainda maior. Mas quando o aluno que tem uma trajetória, vai criando esse encargo dos sentimentos mais controlados”, afirma.


Julia Sextare, de 18 anos, está no seu primeiro ano de preparação para o Enem e acredita que o grande diferencial dos cursinhos são os simulados que auxiliam a simular o horário de realização das provas, ajuda no preparo físico e psicológico. “Me sinto 80% confiante para fazer o Enem, é difícil estar 100% porque na hora o nervosismo bate, mas estou mantando a calma e espero conseguir passar de primeira, mas também se não der vou erguer a cabeça e tentar novamente, uma hora vai chegar minha vez”, conta a estudante.


O jovem Vinícius Guerra Gênova, de 18 anos, quer cursar engenharia civil, na UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) e também busca manter a calma antes da prova, para ele, estudar que nem louco na última semana que não vai adiantar. “Agora é apenas rever os últimos conceitos porque o que era para ser estudado já foi, essa é a hora de mostrar o meu melhor”.


Tem um plano B?


O estudante Luis Augusto, de 18 anos, espera ser seu primeiro e último ano de cursinho. Com o sonho de cursar medicina, ele não pensa em outra coisa. Essa não é a primeira vez que realiza o Enem, mas é a primeira em que se sente realmente preparado. O jovem não tem plano B, apenas o A mesmo que quer tentar até conseguir. “Já falei com a família e estou decidido que é medicina que eu quero, espero conseguir esse ano, mas se não for, vou seguir e continuar tentando, não vou desistir do meu objetivo”, afirma.


“Eu já terminei o ensino médio e esse ano fiz o curso preparatório para o Enem. Costumo dizer que não perdi um ano, mas sim que ganhei um ano. Porque aqui adquiri maturidade, com pessoas mais velhas e que tem um foco diferente”, conclui.


Terminando o ensino médio e querendo entrar para a engenharia de produção, João Lucas, de 17 anos, passa o dia inteiro no colégio se preparando para o Enem. Ele chega pela manhã e tem dias que só sai à noite. “Já fiz o Enem ano passado e achei que é uma prova bem intensa, bem cansativa, para esse ano quero estar preparado para essas situações e espero passar de primeira”, afirma o jovem.


O nervosismo já deu para perceber que é inevitável nos jovens, mas manter o foco, respirar fundo e ter empenho ajudam na realização da prova. Em Mato Grosso do Sul, 70.396 pessoas participarão da prova – 29.155 só em Campo Grande.