Pagamento com celular ameaça extinguir cartão de passagem estudantil - Caarapó Online

Caarapó - MS, sexta-feira, 23 de outubro de 2020


Pagamento com celular ameaça extinguir cartão de passagem estudantil

Estreia do serviço no Rio de Janeiro abre caminho para que outras capitais adotem a tecnologia. Novidade surge como uma revolução no sistema eletrônico de pagamento de transporte público

Publicado em: 30/04/2019 às 05h20

Correio Braziliense

Desde ontem, os usuários do metrô da capital fluminense podem pagar o passe pela utilização do sistema com cartão de crédito ou celular, via aproximação. A novidade, resultado de uma parceria entre MetrôRio, Banco do Brasil, Bradesco, Cielo e Visa, surge como uma revolução no sistema eletrônico de pagamento do transporte público das grandes cidades e sinaliza a extinção dos atuais modelos de bilhete único, segundo especialistas.

 
“Embora não exista uma definição de data para que isso comece a funcionar em outras grandes cidades, é evidente que não deve demorar muito para ocorrer e acabar, em definitivo, com os antigos passes e bilhetes de plástico”, afirma o economista César Augusto Borestein, coordenador de estudos urbanísticos da Fundação de Sociologia e Política de São Paulo.

 
O modelo implementado no Rio de Janeiro é, de fato, um exemplo a ser replicado. Todas as 41 estações do MetrôRio (linhas 1, 2 e 4) tiveram validadores ajustados para suportar a nova modalidade de pagamento. Os aparelhos, segundo a concessionária, já estão devidamente sinalizados.

 
O usuário precisa apenas aproximar o cartão de crédito do equipamento para a tarifa ser cobrada, sem necessidade de fazer qualquer assinatura ou digitar senha. O cartão precisa ser do tipo contactless. O usuário, como opção, pode realizar o pagamento via serviços como Samsung Pay ou Apple Pay. Acessórios como relógios ou pulseiras com NFC também são compatíveis e podem ser utilizados, sem a cobrança de taxas adicionais nos pagamentos.

 
De acordo com a MetrôRio e a Visa, existem três vantagens principais da nova modalidade de pagamento. A primeira, a comodidade ao usuário, que não precisa comprar ou recarregar bilhetes nos postos, já que as tarifas são lançadas na fatura do cartão de crédito. A segunda, a redução do tempo perdido em filas nas bilheterias das estações. E, por fim, o benefício para turistas, brasileiros ou estrangeiros, que utilizarem o metrô.

 
“Acreditamos que o uso da tecnologia de pagamentos por aproximação no metrô é uma oportunidade de digitalizar bilhões de transações de baixo valor, melhorando a experiência do passageiro e reduzindo despesas do transporte público”, afirma o presidente da Visa no Brasil, Fernando Teles. Segundo a Visa, atualmente já são realizadas mais de 1 milhão de transações mensalmente por meio de pagamentos por aproximação.

Chip compatível e resolvido o problema


De acordo com a Visa, o MetrôRio é a primeira concessionária de transportes do mundo a implementar a plataforma Secure Access Module (SAM), que permite que a tecnologia seja usada sem necessidade de trocar os validadores — basicamente, é preciso apenas instalar um chip para cada equipamento ser compatível.

 
Além de usar cartões de crédito contactless já existentes, em breve, os usuários poderão adquirir cartões compatíveis em terminais da Saque e Pague na Estação Central. Por serem cartões pré-pagos, essas unidades poderão ser usadas em outros estabelecimentos.

 
Por enquanto, somente cartões com bandeira Visa são aceitos. Mas a Visa garante que o sistema foi desenvolvido para aceitar cartões de outras bandeiras. Para isso, basta que as empresas responsáveis manifestem interesse pelo serviço. A Visa diz, ainda, que a tecnologia poderá ser utilizada nos sistemas de transportes de outras cidades brasileiras, sejam eles de modalidade ferroviária, seja rodoviária. A companhia não revelou, porém, se já há projetos semelhantes em andamento em outros municípios.