Agricultura terá programa para erradicação do vírus clássico da peste suína - Caarapó Online

Caarapó - MS, domingo, 21 de julho de 2019


Agricultura terá programa para erradicação do vírus clássico da peste suína

Agricultura terá programa para erradicação do vírus clássico da peste suína. Foi publicado no Diário Oficial da União a Portaria nº 40, que constituiu um grupo de trabalho com o objetivo de elaborar a proposta do Plano Estratégico para eliminar a Peste Suína Clássica (PSC) dos Estados de Alagoas, Amapá, Amazonas, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Roraima.

Publicado em: 30/03/2019 às 06h48

Agência Estado

O Ministério da Agricultura lançará, até junho, um programa para erradicar no Brasil a peste suína clássica. Ao contrário do resto do Brasil, parte do Nordeste e da região Norte não são consideradas áreas livres da doença.


Na terça-feira (26.03), foi publicado no Diário Oficial da União a Portaria nº 40, que constituiu um grupo de trabalho com o objetivo de elaborar a proposta do Plano Estratégico para a Erradicação da Peste Suína Clássica (PSC) dos Estados de Alagoas, Amapá, Amazonas, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Roraima.

"O grupo de trabalho terá de apresentar até junho um documento final contendo as diretrizes do plano a ser executado nos 11 estados, pois pretendemos erradicar esta enfermidade do território nacional. Será um programa de vários anos, assim como o de febre aftosa", disse o secretário de Defesa Agropecuária, José Guilherme Leal, em nota.


Segundo ele, as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste e alguns Estados nordestinos como a Bahia e Sergipe já são considerados áreas livres de PSC. Barreiras de fiscalização são montadas nas divisas dos Estados para impedir o trânsito de animais.


"A erradicação da peste suína clássica é muito importante, porque a introdução do vírus na área livre da doença teria o efeito de cancelar a certificação obtida pelo País e, com isso, paralisar as exportações brasileiras de suínos", avalia o ministério.