Vai comprar um ar-condicionado? Veja dicas para a melhor escolha - Caarapó Online

Caarapó - MS, quarta-feira, 24 de abril de 2019


Vai comprar um ar-condicionado? Veja dicas para a melhor escolha

Vai comprar um ar-condicionado? Veja dicas para a melhor escolha

Publicado em: 11/02/2019 às 05h32

Bem Paraná

O verão está a pleno vapor e até mesmo na Capital que é considerada a mais fria do País, as temperaturas estão passando dos 34º C praticamente todos os dias. Para quem já não aguenta mais ‘cozinhar no panelão’ que parece ter virado Curitiba uma saída pode ser a instalação se um ar condicionado.

O problema é que muitos consumidores não sabem qual capacidade do aparelho é a mais adequada para o cômodo onde pretendem fazer a instalação. Se esse é o seu caso, leia nossas dicas a seguir e acertar na escolha sem ter problemas com a conta de luz.

O primeiro aspecto a se considerar é o tamanho da área que se pretende resfriar (a dica também serve caso se opte por um aparelho de parede). É importante levar em conta ainda a quantidade de pessoas que utilizam o espaço, o número de aparelhos eletrodomésticos instalados no mesmo ambiente e se ele recebe a luz do sol, seja pela manhã ou pela tarde. Isso porque, quanto maior a incidência solar, mais tempo o aparelho levará para resfriar o local, consumindo mais energia.

Por isso, ambientes de grande circulação como sala, geralmente, consomem mais energia do que um quarto, onde se costuma usar o aparelho apenas para dormir, sem abrir e fechar portas e com poucos eletrodomésticos ligados. Desse modo, se o único aparelho utilizado em seu quarto é uma TV, por exemplo, não precisa investir em um modelo tão potente. Ou seja, a capacidade em BTU (unidades térmicas britânicas) pode ser menor do que o necessário para a sala.

Cada metro quadrado precisa de 600 BTU


Tão importante quanto saber identificar a capacidade ideal para refrigerar o ambiente, é poder optar pelo ar-condicionado que tenha o melhor custo-benefício. O ponto de partida é 600 BTU, refrigeração necessária para cada metro quadrado do local.

É importante considerar ainda 800 BTU por pessoa que circula pelo ambiente, mais 800 BTU para cada aparelho ligado. Caso o cômodo seja alvo de incidência solar, multiplique por 1,25 na calculadora.

Potência

Um ponto importante a ser considerado é a potência do aparelho escolhido. Técnicos advertem que aparelhos com potência muito inferior à indicada, causam problemas para o equipamento. Além disso, a despesa com manutenção e o consumo de energia tendem a aumentar e o aparelho poderá levar mais tempo para resfriar o ambiente ou até mesmo não atingir a temperatura desejada.

Por outro lado, não se deve utilizar modelos com capacidade de refrigeração muito acima da necessária para o espaço. Isso irá apresentar maiores oscilações de temperatura e, sobretudo, o aumento no consumo de energia. Além disso, o ar-condicionado não será eficiente na redução da umidade do cômodo, uma de suas funções.

Manutenção

A manutenção frequente do ar-condicionado é fundamental para manter o ar da casa limpo e o aparelho funcionando em boas condições, sem consumir energia em excesso. Mas para isso não precisa contratar um técnico para fazer esse tipo de serviço. O primeiro passo é desligar o aparelho da tomada, remover o painel da frente e limpar com um pano seco e macio. Se estiver muito sujo, um pano embebido apenas com água morna pode ser usado, mas bem torcido. Após a limpeza, aguarde o painel secar para abrir a tampa e retirar o filtro com cuidado para fazer a limpeza. Filtros de carvão ativado e Hepa precisam de limpeza mensal só com aspirador de pó. Se possível, troque-os a cada quatro ou cinco meses.

Para limpar o filtro de náilon, use um aspirador de pó ou lave com água morna e detergente neutro, se estiver muito sujo. Antes de reinstalar o filtro, seque as áreas úmidas com um pano. Depois, recoloque o filtro limpo e feche o painel.

Além da limpeza do filtro, que deve ser trocado a cada dois meses e o ar-condicionado precisa ser limpo a cada três meses. A medida é necessária para o combate aos fugos, fungos, ácaros e bactérias. O procedimento é feito com produtos especiais (que custam em torno de R$ 20) e seu efeito dura aproximadamente um mês.

GUIA DE COMPRAS PARA UM AR CONDICIONADO


Conheça os tipos de ar-condicionado e saiba qual deles pode atender melhor a sua demanda neste verão.

• Janela (ou parede): são os mais comuns, mais baratos e com maior presença no mercado. Se você quer refrigerar apenas um cômodo e não se incomoda com barulho, pode ser uma opção interessante.

• Split: são mais modernos, apresentando o design e novas funções como diferenciais. São divididos em duas unidades: interna (evaporador) e externa (condensador). Isso reduz o nível de ruído dentro do ambiente, já que o compressor fica do lado de fora. Estes aparelhos são mais caros e ainda é preciso pagar pela instalação, que deve ser feita por assistência técnica especializada - o que é, aliás, exigência dos fabricantes para não perder a garantia do aparelho.

• Split Inverter: são modelos Split, portanto mais caros que os “Janela” e é necessário pagar a instalação como nos Splits convencionais. Porém a tecnologia inverter promete economias de energia que podem chegar a 60%. Ao contrário dos modelos convencionais, os aparelhos inverter diminuem a velocidade do compressor, sem a necessidade de desligá-lo. Como o compressor não é desligado, os picos de consumo ocorridos quando o compressor é ligado são evitados. Desta forma, o Split Inverter diminui as oscilações de temperatura do ambiente e gera economia de energia.

• Multi Split: modelos com mais de um evaporador e um único condensador, para refrigerar diferentes ambientes de uma só vez. Contudo, são mais caros que os modelos split convencionais.

• Portátil: são pesados e custam caro. Também precisam de acoplagem a uma janela ou a um espaço na varanda. A água resultante da operação é acumulada no próprio aparelho, ou seja, é preciso, de tempos em tempos, esvaziar o reservatório. Pode ser uma opção para quem não pode alterar a fachada da residência.

• Refrigeração: Outro critério que deve ser considerado na escolha de um ar-condicionado é a sua capacidade de refrigeração, medida em BTU/h. Existem aparelhos com capacidade bem pequena, como 5.200 BTU/h, e outros com capacidades bem grandes, acima de 60.000 BTU/h. Porém a maioria dos modelos encontrados no mercado está entre 7.500 e 30.000 BTU/h.

• Instalação: Vale lembrar ainda que há custos para a instalação de qualquer ar-condicionado. Os valores começam a partir de R$ 300,00, mas variam de acordo com o aparelho. É importante sempre pensar nessas quantias na hora de comprar.