Deborah Secco fala sobre desafios de conciliar maternidade e trabalho - Caarapó Online

Caarapó - MS, sábado, 23 de junho de 2018


Deborah Secco fala sobre desafios de conciliar maternidade e trabalho

Publicado em: 13/05/2018 às 08h25

Gabriel Sobreira

Rio - Há dois anos e cinco meses, o mundo de Deborah Secco, 38 anos, ganhou novo sentido quando Maria Flor nasceu. Mas a atriz quer mais. “Teremos mais um filho, só não sabemos se teremos biológico ou se adotaremos. Estamos nessa pesquisa, nesse impasse na verdade (risos). Mas teremos. Irmão é o maior presente que tenho que dar para a minha filha”, afirma a atriz, que viverá a vilã Karola, uma mau-caráter que rouba o filho da rival em ‘Segundo Sol’, nova novela das 21h, escrita por João Emanuel Carneiro, que estreia amanhã na Globo.

BATE SAUDADE

“É muito difícil deixá-la (Maria Flor), mas graças a Deus, a Globo foi uma mãe e me deu os dois anos que eu pedi”, conta Deborah. Como a pequena já está na escolinha, a mamãe de primeira viagem achou que já estava mais do que na hora de voltar ao trabalho. “Estou sempre tentando chegar em casa cedo. Quando não consigo, o Hugo (Moura, ator que também está na novela das 21h) está e, quando não está nenhum dos dois, minha mãe está. Mas é punk, não posso ficar falando muito disso porque todas as mães do Brasil fazem isso e não é nenhum privilégio meu. Mas é muito difícil ser mãe e trabalhar”, confessa a atriz.
 
 

EXPOSIÇÃO DA FILHA

Para a atriz, o tempo de dois anos é excelente para cortar um pouco a dependência. “É uma idade que ela já entende um pouco, você consegue conversar. Acho que é mais difícil para mim do que para ela”, desabafa, aos risos. Por serem famosos, os pais de Maria Flor conversaram muito sobre expor ou não a menor nas redes sociais. Foi quando eles chegaram a um consenso. “Esconder uma criança é um trabalho muito árduo, porque você tem que tirar ela de todos os lugares. Hoje, o celular e a foto são muito presentes.

No aniversário, tem que esconder, na sala de aula tem que tirar ela na hora da foto, na hora do bolo tem que proibir todas as pessoas da festa de fotografar”, argumenta. “É fazer dela um ser muito diferente. Os dois (expor e não expor) vão pesar contra que você vai fazer um caos na vida da criança, mas a gente acha que esse caos de fazer ela se sentir diferente talvez seja mais prejudicial”, acrescenta.

FILHINHA DE PEIXES

Sendo filha de atores e mesmo ainda faltando muito para chegar a hora de Maria Flor escolher a profissão de sua vida, Deborah conta que vai apoiar a filha no que ela decidir. “Se ela quiser ser freira na África, vou apoiar. Acho que a melhor coisa que minha mãe fez por mim foi aceitar, comprar meu sonho desde muito nova. Eu sonho com isso, uma coisa muito difícil, quase impossível, e deu certo. Que bom que minha mãe me deixou tentar. Vou deixar ela tentar o que quiser”, assegura a atriz, com orgulho.

MELHOR POSSÍVEL

Você se tornou a mãe que sempre quis ser? “Frustração é o meu nome. Eu queria ser muito melhor, mas juro que estou me esforçando em ser o melhor que posso. Todos os dias, eu me falo isso antes de dormir. A gente acha muito que tinha que ser melhor, que podia ser melhor, que tudo que acontece de errado a culpa é nossa. Mas eu sou o melhor que posso, isso tenho certeza, me esforço tanto”, reforça.

FAMÍLIA


Para Deborah, ter uma família para chamar de sua era um sonho antigo. “Todo mundo me acompanhou no perrengue de chegar lá (risos), e finalmente eu consegui. Na área pessoal, bati cabeça muitas vezes. Mas Deus me deu todas as chances que eu precisei e no final deu tudo certo. Foi com a pessoa certa”, derrete-se, referindo-se a Hugo.

PARCEIRO

Sobre o companheiro, Deborah é franca. “Ele tem vontade de viver uma vida de família. Uma vida a dois. E vontade de se dedicar para isso. E isso é uma escolha diária, ele escolhe isso diariamente. Acho que essa é a grande diferença. E ser a pessoa certa, a

hora certa, e eu estar na minha hora certa também. Eu acredito muito na tampa e na panela. Com certeza, a gente ia se esbarrar em algum momento porque era com ele, tinha que ser com ele”, aposta.

“A gente ainda não gravou junto. E nunca viemos juntos. Pelo contrario, está uma loucura porque quando estou, ele não está e vice-versa. Mas é uma delícia por ele. Fiquei muito feliz. Ele fez um teste muito bom e todo mundo adorou”, derrete-se a atriz, cujo companheiro interpretará Robinho, um garoto de programa. “O fato de ser meu marido acaba que ajuda de um lado, mas atrapalha muito de um outro, e ele é um cara que enfrenta esse preconceito das pessoas, com a cabeça erguida, e fala: ‘vou continuar tentando, sim, porque ninguém vai fazer com que eu desista do meu sonho’. É um cara que não se esconde, não se amedronta. Ele pega o problema, bate no peito e leva para frente”, completa.

A TRAMA

Na trama de João Emanuel Carneiro, Karola (Deborah Secco) esconde o passado miserável em uma favela baiana e enxerga na falsa morte do namorado, Beto Falcão (Emilio Dantas), uma oportunidade de enriquecer. Ela e o amante, Remy (Vladimir Brichta), irmão de seu namorado, convencem Beto a não revelar que está vivo. Depois, a loura separa Luzia (Giovanna Antonelli) de Beto e rouba o filho da morena com o cantor. Apesar dos esforços, Valentim (Danilo Mesquita) não tem uma boa relação com a “mãe”, apesar de ela amá-lo de verdade. Luzia foge para a Islândia e retorna para a Bahia 18 anos depois como Ariella, uma cantora e DJ. “Depois que a Luzia volta, o mundo da Karola vai desmoronar se ela vier roubar o Beto e o filho. Ela é louca por esse filho e esse homem. A família que ela construiu é tudo que ela tem. Ela realmente acaba virando uma mulher de família e vive por esses dois”, conta Deborah.