O que está acontecendo com o Facebook vai acabar com a rede social? - Caarapó Online

CAARAPÓ - MS, sábado, 4 de dezembro de 2021


O que está acontecendo com o Facebook vai acabar com a rede social?

O que está acontecendo com o Facebook?

Publicado em: 24/10/2021 às 05h35

Zeleb - Espanha

Aquela que foi a principal rede social do planeta, inventada Mark Zuckerberg, em 2004, quando ainda era um jovem estudante de Harvard (EUA), está em crise. Pelo menos esse é o rumor que paira na mídia e no mundo dos negócios.

A mais famos revista dos EUA, a TIME escolheu Mark Zuckerberg como o personagem mais relevante de 2010. Ele tinha 26 anos. Uma década depois, a mesma publicação dedicou a ele uma capa devastadora, na qual insinua um possível fim de um império que se considerou anois antes, um império invencível.

Há poucos anos, em 2018, um relatório exaustivo redigido por especialistas de vários países concluiu que o Facebook tinha mais de 2 bilhões de usuários ativos e que seu crescimento não pararia. Mas, hoje, a sensação é de que esta plataforma entrou em declínio.

A pane mundial do Facebook, Instagram e WhatsApp, ocorrida em outubro de 2021, afetou Mark Zuckerberg e a credibilidade tecnológica de seu império. Esse episódio causou uma queda no mercado de ações do Facebook e um prejuízo em suas ações de 6 bilhões de dólares, de acordo com a agência de notícias americana, a agência Bloomberg.

No mesmo mês, Frances Haugen, uma ex-funcionária do Facebook, acusou, perante o Congresso dos Estados Unidos, a empresa de pensar exclusivamente em benefícios econômicos e não prestar atenção nas mensagens de ódio publicadas dos usuários. A rede social por sua vez, é claro, negou tal coisa.

Contas VIP podem publicar o que quiserem

 

Mas as revelações de Frances Haugen coincidem com uma investigação do Wall Street Journal que revelou a existência de uma lista VIP de usuários. Celebridades e políticos podiam publicar o que quisessem em seus perfis, por mais pernicioso que fosse e até mesmo se violasse as regras do Facebook. Donald Trump, é claro, seria um deles. E há muitos outros que fazem publicações do que quiserem, sem censura ou cortes.

O crescimento do Facebook (e até do Instagram) entre os jovens também tem sido questionada. De acordo com o site especializado eMarketer, não supera 1%, nos Estados Unidos, um percentual muito baixo para uma rede que aspira permanentemente volumes extraordinários.

Tik Tok é a rede emergente

 

Outro motivo do possível declínio do Facebook e do Instagram é a atual preferência dos jovens pelo Tik Tok. A plataforma reúne 32,5% dos usuários entre 10 e 19 anos e 41% entre 16 e 24 anos. Como exemplo deste crescimento um exemplo atualmente famoso, Charli D’Amelio, que tem 126,4 milhões de seguidores no Tik Tok.

Já a imensa população de usuários do Facebook faz parte de faixas etárias anteriores, o que a tem definido como “uma rede social para pessoas mais velhas”. E isso destroi qualquer possibilidade de crescimento da plataforma mais famosa de relacionamentos. Mas talvez o grande problema do Facebook seja a suspeita de que usa os dados dos usuários de maneira não confiável e inclusive ilegal. Isso poderia ter influenciado inclusive a política.