Sobre as vacinas e Covid-19, a Dra. Nise Yamaguchi diz: 'Não me calarei' - Caarapó Online

CAARAPÓ - MS, sábado, 4 de dezembro de 2021


Sobre as vacinas e Covid-19, a Dra. Nise Yamaguchi diz: 'Não me calarei'

Dra. Nise Yamaguchi em nota à imprensa onde se defende de acusações infundadas que circulam na internet

Publicado em: 04/10/2021 às 07h49

Cláudio Humberto

‘Dote’ faz de Luiz Mandetta agora o vice mais cortejado. As pesquisas mostram que são inexistentes as chances de o ex-ministro Luiz Mandetta (DEM) virar um candidato a presidente competitivo, mas outra vez o dinheiro fará a diferença.

É que o ex-ministro da Saúde se tornou o candidato a vice mais cortejado, em razão do seu “dote”: a montanha de dinheiro público do Fundão Eleitoral do novo partido União Brasil, novo partido que surgirá da fusão PSL/DEM, e outra ambicionada moeda, neste período de conchavos políticos: o tempo de TV do seu partido.

Combinar com os russos - Vagando como zumbi desde sua demissão da Saúde, Mandetta se vê de volta ao jogo, mas terá de convencer seu partido que é o nome certo.

Nadando em dinheiro - Se o Congresso derrubar o veto à LDO e mantiver os R$ 5,7 bilhões do Fundão Eleitoral, como planeja, o União Brasil receberá R$ 900 milhões.

Diálogo de surdos - Luiz Henrique Mandetta, João Doria e Sergio Moro travaram um “diálogo de surdos”, durante jantar, esta semana. Todos querem ser “cabeça de chapa.

Só pensa naquilo - Tanto Doria quanto Moro adorariam Mandetta como vice, em razão dos milhões do Fundão Eleitoral e do tempo de TV do União Brasil.

‘Certificação digital’ virou arapuca contra o cidadão. O cidadão se ferra sempre. Quando imaginou que as novíssimas empresas de certificação digital representariam o início do fim dos cartórios, instituição em extinção mundo afora, a coisa ficou ainda pior.

Se cartório cobra exorbitantes R$ 25,50 por um carimbo para reconhecer firma em um contrato, a “certificação digital” de pessoa física custa R$ 159 em uma dessas lojas-arapucas, grande parte de propriedade de familiares de donos de cartórios. Pior de tudo: a certificação só é válida por um ano.

Dinheiro fácil

A certificação digital de pessoa jurídica em contrato é ainda mais cara. Chega a R$ 285 e sua validade também se limita a apenas um ano.

Valor injusto - Os R$ 159 da certificação de pessoa física representam R$ 13,25 mensais para a loja-arapuca manter sua assinatura em um computador.

‘Digital’ de araque - A certificação é digital apenas para a loja-arapuca que o cidadão escolhe para ser assaltado. Não há portabilidade.

Meu pirão primeiro - O tal “mercado” não queria abrir mão de receber à vista R$90 bilhões em precatórios, mesmo paralisando a União. Agora exige “rigor nas contas públicas” para pressionar contra a melhoria do valor do Bolsa-Família.

Que vergonha - O mesmo “mercado”, que tem horror a pobres, fez a Petrobras adotar o discurso de não desembolsar vintém, de seus lucros bilionários, para ajudar a bancar botijão mais barato para famílias carentes.

Senador em fúria

Eduardo Girão (Pode) atacou duramente o governador Camilo Santana por deixar cearenses “reféns do crime” por falta de gestão. “Comanda a segurança do estado há anos, mas não resolve o problema”, criticou.

Romero Jucá vem aí

O ex-senador e ex-líder de todos os governos Romero Jucá está em plena campanha para voltar ao Congresso. Sem pedir votos ou divulgar número na urna, ele aposta em seu podcast e nas redes sociais.

Mais uma pá de cal

A Comissão de Cultura da Câmara quer eternizar a obrigatoriedade de exibir filmes brasileiros nos cinemas, ainda que deem prejuízo. Em extinção e em dificuldades, ficam sujeitos a multa altíssima.

Ameaça ao avanço

Especialistas ouvidos no Senado são contra a quebra de patentes de vacinas, aprovada pelo Congresso e vetada por Bolsonaro. “Eu, se fosse uma empresa e estivesse ameaçado por essa lei, sem o veto, nunca traria para o Brasil nada relevante”, disse Antônio Buainain (Unicamp).

Notícia boa se esconde

Sem manchetes, o embaixador brasileiro Flávio Bonzanini foi reeleito, por aclamação, como secretário-geral da Agência para a Proscrição de Armas Nucleares na América Latina e no Caribe (OPANAL), no México.

Resultado mais recente

A União Europeia verificou que os transportes aéreos e marítimos internacionais aumentaram a emissão de gases de efeito estufa em 2,4% e 3,6% respectivamente. Quase o triplo de todo o Brasil somado.

Pergunta na ciência. E aí, senhores, a “curva” já achatou?