Em 2020, MS teve o 5° maior rebanho de bovinos do Brasil - Caarapó Online

CAARAPÓ - MS, sábado, 4 de dezembro de 2021


Em 2020, MS teve o 5° maior rebanho de bovinos do Brasil

Corumbá é o município que ocupa a 2ª melhor posição no Brasil, com 1.775.391 cabeças

Publicado em: 30/09/2021 às 06h37

Izabela Cavalcanti

Apesar de Mato Grosso do Sul ter apresentado queda de 1,96% no rebanho de bovinos em 2020, o Estado ainda se manteve como o quinto maior rebanho do País. Os dados constam na Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM), divulgada nesta quarta-feira (29) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Conforme o levantamento, em 2020, o Estado registrou 19.027.086 cabeças de bovinos, enquanto em 2019, o número foi de 19.407.908. O maior volume foi em 2010, quando foram registrados 22.354.077 cabeças. Na ocasião, Mato Grosso do Sul, ficou em 3° lugar entre os estados brasileiros.

Além da queda de bovinos, também tiveram redução as categorias de suíno (3,02%) e ovinos (4,70%). Corumbá tem o segundo maior rebanho no Brasil, com 1.775.391 cabeças e Ribas do Rio Pardo ocupou a terceira posição, com 1.040.593. Em contrapartida, tiveram crescimento os rebanhos de bubalinos, com 9,44%, cavalos 13,77%, caprinos 8,81%, galináceos 1,20% e codornas com 35,57%.

CAVALOS

Corumbá se destaca com o maior efetivo de cavalos no Brasil, com 45.805 cabeças em 2020, aumento de 18,8% em relação a 2019. No Estado, o efetivo de equinos (cavalo) foi de 410.740 cabeças.

Campo Grande teve 16.228 (2°) unidades; Aquidauana 15.869 (3°); Ribas do Rio Pardo 13.869 (4°); Ponta Porã 12.185 (5°).

SUÍNOS

O rebanho de suínos teve queda de 7%, com 1,4 milhões de cabeças. Entre os estados brasileiros, Mato Grosso do Sul ocupa 8ª posição como maior rebanho de suínos.

São Gabriel do Oeste, a 150 km da capital, ocupa a 1ª posição entre os municípios de Mato Grosso do Sul, com 227.067. Em seguida está Glória de Dourados, com 210.381; Brasilândia 152.678; Dourados 132.206 e Jateí com 126.157.

PEIXES

Na aquicultura, Mato Grosso do Sul ficou como o 9° maior produtor no Brasil. Em 2020, a psicultura no Estado produziu 16.496 toneladas, ficando na 9ª posição. O valor de produção foi de R$ 94 milhões. Os três principais produtos no Estado são: Tilápia, com produção de 15.158; Pacú e Patinga (932) e Pintado, Cachara, Cachapira, Pintachara e Surubim (155).

Entre as 20 cidades do Brasil com maior produção de peixes, Aparecidade do Taboado ocupa a 14ª posição, contabilizando 6.209 toneladas produzidas no ano passado. Se levar em conta somente a produção de tilápia, a cidade sobe para a 12ª posição.

Já a criação de alevinos apresentou queda de 19% se comparado ao ano anterior. Foram produzidos, aproximadamente, 36 mil milheiros de alevinos. No entanto, o valor de produção aumentou 11,9%, registrando R$ 20,2 milhões a mais que em 2019.

AVES

Ainda conforme a pesquisa, no Estado, o efetivo de galináceos cresceu 1,2%, saindo de 29,68 milhões de cabeças em 2019 para 30,04 milhões em 2020. Com isso, MS ficou em 13° como maior efetivo do País.

Entre todos os municípios pesquisados do Brasil, Sidrolândia tinha o 17° maior rebanho de galináceos, com um rebanho de 7,55 milhões de cabeças. O número é 3,85% menor do que o registrado no ano anterior, que foi de 7,85 milhões.

Diante do aumento, a produção de ovos de galinha também teve crescimento de 22,5%, saindo de 54,37 milhões de dúzias para 66,61 milhões. Terenos foi o principal produtor, com 25,5 milhões de dúzias, aumento de 2,19% em relação a 2019. O município também é o único produtor de ovos de codorna. Em 2020 foi registrado 1,09 milhão de dúzias.

LEITE

A pesquisa mostra ainda que a produção de leite chegou a 295,9 milhões de litros em 2020, representando um aumento de 4,6%. MS ocupa o 19° lugar no Brasil.

Em nível nacional, a produção de leite no Estado registrou marca de R$ 35,4 bilhões de litros, um aumento de 1,5% em relação ao ano anterior. O valor da produção foi estimado em R$ 402 milhões, 24,4% maior que 2019.

MEL

A pesquisa divulgada pelo IBGE aponta que a produção de mel atingiu a marca de 984 toneladas, representando alta de 1,1%. O valor da produção foi estimado em R$ 11,5 milhões, sendo 17% a mais que em 2019, quando foi registrado R$ 9,9 milhões.

Entre os estados brasileiros, Mato Grosso do Sul ocupa a 10ª posição, com participação nacional de 1,9%. Em MS, Jardim ocupa o 1° lugar na produção de mel, com 92 toneladas. Três Lagoas (2°) com 68 toneladas; Dourados 61; Angélica 50 e Selvíria com 45 toneladas.

PRODUÇÃO DE LÃ

Entre os estados produtores de lã, Mato Grosso do Sul ocupa o 4° lugar. Em 2020, a produção foi de 44 toneladas, com o valor da produção estimado em R$ 259 mil, 38,3% menor que 2019, quando foi registrado R$ 420 mil.