Vacância de escritórios de aluguel em SP alcança 25% e no RJ o número chega a 37% - Caarapó Online

CAARAPÓ - MS, domingo, 19 de setembro de 2021


Vacância de escritórios de aluguel em SP alcança 25% e no RJ o número chega a 37%

Levantamento da Newmark mostra que retorno ao trabalho depende do ritmo da vacinação e, no Brasil, não deve ocorrer até o fim deste ano

Publicado em: 23/07/2021 às 08h20

Bussola Imóveis

O retorno dos funcionários ao trabalho presencial está diretamente ligado ao ritmo de vacinação. Segundo levantamento da consultoria imobiliária Newmark, em Nova York (Manhattan), que já tem 73% da população completamente imunizada, mais de 60% dos colaboradores começam, em setembro, a voltar aos escritórios ao menos três dias por semana.

Por lá o impacto da pandemia também foi muito forte. As devoluções de espaços fizeram com que a taxa de vacância subisse de 6% no 2º trimestre de 2020 para 18,7% no 2º trimestre de 2021.

Em São Paulo, a taxa de vacância subiu de 16,4% para 25,1% e, no Rio de Janeiro, de 36,1% para 37,2%, no segundo trimestre em relação ao mesmo período do ano passado. Em Manhattan, a vacância foi pouco impactada pelo novo estoque entregue, que cresceu 2% no último ano. Já em São Paulo, os novos empreendimentos entregues no último ano representaram um aumento de 7% no estoque. Segundo Mariana Hanania, diretora de Pesquisa de Mercado da Newmark, "com um ritmo de vacinação mais lento em relação aos Estados Unidos, sentimos que aqui as empresas ainda estão em compasso de espera e não há sinalizações de que esse movimento ocorra de forma significativa até o final deste ano”.

Vazios não sabemos, mas… No primeiro semestre de 2021, a devolução de escritórios bateu recorde tanto em São Paulo quanto no Rio de Janeiro. Em números (quadrados): A capital paulista registrou um encolhimento de 260 mil m² de suas comerciais, enquanto, no Rio, a diminuição foi de 122 mil m².

As maiores perdas têm algo em comum… Foram nos estabelecimentos ocupados por grupos das classes B e C.

Já sabe o motivo, né?

O home office, odiado por vários, mas adorado por tantos outros. Ainda se diz muito que o trabalho remoto veio pra ficar, mesmo depois que tirarmos as máscaras.

As tecnologias e ferramentas digitais adotadas aceleraram o processo, e alguns segmentos se adaptaram com grande facilidade. Há especialistas que afirmam, inclusive, que regiões apenas com imóveis empresariais não se sustentarão no futuro.

A contrapartida: Em Brasília (DF), o que aconteceu foi o oposto e outros estados. Por lá, o mercado imobiliário comercial mostrou recuperação, ainda que lenta, com crescimento do setor.