Em 19 dias, 67 pessoas morreram esperando um leito hospitalar em Campo Grande(MS) - Caarapó Online

CAARAPÓ - MS, sábado, 27 de novembro de 2021


Em 19 dias, 67 pessoas morreram esperando um leito hospitalar em Campo Grande(MS)

Idade das vítimas varia entre 35 anos e 105 anos; ontem, 92 pessoas estavam em UPAs aguardando por um leito para tratamento

Publicado em: 25/06/2021 às 09h26

Eduardo Miranda

Pelo menos 67 pessoas morreram na fila de espera por um leito hospitalar em Campo Grande entre os dias 31 de maio e 18 de junho deste ano. Os dados estão em um relatório da central de regulação do governo, que a imprensa teve acesso.

As mortes ocorreram em meio a guerra de decretos de medidas restritivas, e também de números, sobre o avanço da Covid-19 em Campo Grande e em outras 42 cidades, entre o período de 13 de junho e a última quarta-feira (23.06).

O colapso hospitalar em Campo Grande continua. Na quinta-feira (24.06) haviam 92 pessoas na fila por um leito de hospital em Campo Grande. Essas pessoas esperam por uma vaga em camas improvisadas em unidades de pronto atendimento (UPAs) ou centros regionais de saúde (CRSs) da cidade.

O boletim da Covid-19 publicado ontem trazia um porcentual de ocupação hospitalar de 104% em Campo Grande. A macrorregião com maior superlotação: Corumbá tem 100% dos leitos ocupados, Três Lagoas, 97%, e Dourados, que passou por um lockdown de 15 dias entre o fim de maio e o início deste mês, com 91%.

A lista de mortos a que o Correio do Estado teve acesso mostra mortos em UPAs ou CRSs, que estavam regulados a espera de um leito. Nem todos as vítimas relatadas tinham Covid-19. Mas há várias delas que estavam com a doença quando tiveram parada cardiorrespiratória nas unidades de saúde do município.

A mais jovem das vítimas que morreram nos postos de saúde da Capital à espera de uma vaga em hospital foi um homem de 35 anos, que tinha Covid-19. O óbito ocorreu no dia 5 de junho, às 14h49, na UPA do Jardim Leblon.