Vacinas contra a COVID-19: respondemos algumas de suas dúvidas básicas - Caarapó Online

Caarapó - MS, domingo, 18 de abril de 2021


Vacinas contra a COVID-19: respondemos algumas de suas dúvidas básicas

Vacinas contra COVID-19: respondemos a todas as suas perguntas comuns

Publicado em: 13/03/2021 às 11h20

Redação

Terei que provar que tenho direito a tomar a vacina ?

Isso depende muito do estado ou mesmo do município em que você mora. Alguns departamentos de saúde pública locais criaram portais onde as pessoas podem marcar uma consulta; outros realizam eventos de vacinação em massa e inoculam as pessoas por ordem de chegada. 

Muitas pessoas descobriram que os compromissos se esgotam rapidamente e que a primeira posição disponível pode levar semanas para chegar. Geralmente, os consultórios médicos e farmácias pedem aos pacientes e clientes que não os chamem para marcar uma consulta para a vacina e esperem que entrem em contato com eles. A maioria das farmácias ainda não oferece a vacina, incluindo algumas em supermercados e lojas de departamentos, em breve começarão a fazê-lo graças a uma parceria com o governo federal. Isto só ocorrerá depois de AGOSTO deste ano.

Posso escolher qual vacina quero tomar ?

Provavelmente não. A resposta depende de vários fatores, como o abastecimento da sua região no momento da vacinação. Verifique no site da secretaria estadual de Saúde do seu estado para obter mais informações sobre as vacinas disponíveis perto de você. As vacinas Pfizer e Moderna são as únicas atualmente aprovadas, embora uma terceira vacina Johnson & Johnson esteja a caminho. Muitas outras fizeram pedisos a ANVISA, portanto não há ainda a possibilidade escolha.

Posso combinar as vacinas ?

Embora as vacinas Pfizer e Moderna sejam baseadas na mesma tecnologia de mRNA, idealmente você não deve trocar as vacinas entre a primeira e a segunda dose. Após a primeira dose, você receberá um cartão de vacinação informando qual vacina foi administrada e a data recomendada para a segunda dose. Você também receberá um folheto informativo com mais informações sobre a vacina. Para evitar atrasos, agende sua segunda consulta no mesmo local onde foi vacinado pela primeira vez. Assim saberá que receberá a mesma vacina. Na maioria dos casos, o pessoal de saúde não lhe administrará uma segunda dose diferente da indicada no seu cartão de vacinação. Se você iniciar a vacina Pfizer, deverá receber a segunda dose da vacina Pfizer três semanas depois. Se você iniciar a vacina Moderna, deverá receber a vacina Moderna quatro semanas depois.

A Grã-Bretanha também atualizou discretamente seu manual de vacinação para permitir um regime de combinação se a segunda dose da vacina que um paciente recebeu originalmente não estivesse disponível, ou se o fabricante da primeira injeção for desconhecido, mas devemos aguardar intruções da ANVISA, quanto a este procedimento.

Sentiu algo gelado em seu braço quando você tomou a vacina?

Você pode sentir uma sensação de frio, mas não é uma queixa comum. As vacinas Moderna e Pfizer-BioNTech devem ser mantidas congeladas quase constantemente, porque são feitas com materiais genéticos que se desintegrariam se armazenados em temperaturas mais altas. Ambas as vacinas são removidas dos freezers e descongeladas antes de serem administradas aos pacientes, disse Helen Talbot, membro de um painel que aconselha os Centros de Controle e Prevenção de Doenças e é especialista em doenças infecciosas da Universidade de Vanderbilt.

Por que tenho que esperar uns minutos depois de ser vacinado?

Todos os que forem vacinados serão solicitados a permanecer no posto por cerca de 15 minutos após receber a injeção. Isso permitirá que os profissionais de saúde monitorem quaisquer sinais de reação alérgica, o que é muito raro. Pessoas com histórico de alergias graves podem ser solicitadas a ficar por 30 minutos. Certifique-se de trazer uma boa máscara de duas ou três camadas para tomar sua vacina. Algumas pessoas disseram que foram enviadas para salas de espera lotadas com outras pessoas recém-vacinadas. Se você se encontrar em uma sala de espera lotada, vá para um corredor ou um local próximo com menos pessoas. Todos devem ficar com a máscara e manter distância. Mesmo que você tenha acabado de receber a vacina, a primeira fase de proteção levará algumas semanas para fazer efeito e você não estará totalmente protegido até uma semana após a injeção de reforço.

Quanto tempo a vacina leva para fazer efeito?

Demora algumas semanas para o seu corpo começar a produzir anticorpos após qualquer vacinação. E com as vacinas Pfizer-BioNTech e Moderna, você não obterá proteção máxima até receber a injeção de reforço três a quatro semanas após a primeira. Sabemos um pouco sobre o tempo de proteção dos dados de ensaios clínicos fornecidos pelos fabricantes de vacinas. Embora a vacina Pfizer-BioNTech tenha sido 95 por cento eficaz em testes clínicos, ela não atingiu esse nível até cerca de uma semana após a segunda dose. Dez dias após a primeira injeção, sua eficácia era de apenas 52 por cento. portanto, não é porque se tomou a vacina que está tudo resolvido.

Moderna apresentou seus dados de forma diferente, mas o resultado é semelhante. Os dados do ensaio clínico mostram que é 50,8 por cento eficaz cerca de duas semanas após a primeira dose. Entre duas e quatro semanas antes da segunda dose, a eficácia da vacina atingiu 92,1 por cento, mas não está claro quanto tempo duraria sem a injeção de reforço, que é dada quatro semanas após a primeira dose. A eficácia global final de duas doses da vacina Moderna atingiu 94,1 por cento.

O que acontece se eu contrair o vírus entre a primeira e a segunda dose?

Como a vacina leva algumas semanas para começar a fazer efeito e requer duas doses, ainda é possível tomar COVID-19 enquanto se espera pela injeção de reforço. Tem havido alguns casos de pessoas que parecem ter sido infectadas com o vírus após receberem a primeira dose. Na maioria dos casos, não se sabe se os pacientes já tinham o vírus quando receberam a vacina ou se foram expostos após a vacinação, mas antes que seus corpos tivessem adquirido imunidade suficiente para combater o vírus. Os ensaios clínicos de ambas as vacinas mostraram que elas eram apenas 50 por cento eficazes nas primeiras semanas após a primeira injeção. Se você desenvolver COVID-19 após a primeira dose, você deve planejar receber a segunda dose no horário, mas verifique com o médico primeiro. E lembre-se, mesmo após duas doses, nenhuma vacina oferece 100 por cento de proteção. Mas mesmo se você contrair o vírus após a vacinação, é provável que sinta uma doença leve, porque seu corpo já tem anticorpos prontos para combater o vírus.

Ouvi dizer que tomar um analgésico depois de receber a vacina invejável pode reduzir sua eficácia. Isso é verdade?

A maioria dos especialistas concorda que é seguro tomar um analgésico ou redutor de febre, como paracetamol ou ibuprofeno, para aliviar o desconforto após a vacinação. Você não deve tentar evitar o desconforto tomando um analgésico antes de receber a vacina, deve tomar apenas se o desconforto for grande.

A preocupação de que os analgésicos possam diminuir o efeito da vacina decorre de pesquisas conduzidas em pacientes pediátricos. Às vezes, os pais dão analgésicos aos filhos, como paracetamol ou ibuprofeno, antes e depois de serem vacinados para reduzir a febre e a dor que podem ocorrer após as vacinações infantis. Como a febre e outros efeitos colaterais também são um sinal de que o corpo está gerando uma forte resposta imunológica, alguns pesquisadores se perguntam se dar a uma criança um analgésico ou redutor de febre antes ou depois de uma injeção pode reduzir a eficácia da vacina.

Uma revisão de estudos realizados com mais de 5.000 crianças comparou os níveis de anticorpos daqueles que tomaram analgésicos antes e depois da vacinação com aqueles que não o fizeram. Eles descobriram que os analgésicos não tiveram um impacto significativo na resposta imunológica e que as crianças de ambos os grupos geraram níveis adequados de anticorpos após as vacinações. Outra pesquisa analisou especificamente a administração de acetaminofeno, ibuprofeno ou um placebo a 142 crianças após a vacina contra a gripe. A resposta à vacina não foi significativamente diferente nos pacientes que tomaram analgésicos ou o placebo.

Nem a Pfizer nem a Moderna oferecem alguma orientação sobre como tomar analgésicos para tratar os efeitos colaterais. Uma folha de dicas dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças sugere que você converse com um médico antes de tomar um analgésico de venda livre após tomar a vacina.

Um guia de cuidados posteriores do Centro de Controle de Doenças da Colúmbia Britânica é mais específico sobre o tratamento do desconforto com analgésicos de venda livre. “Você pode se sentir mal por um ou dois dias”, diz o guia. “Se você não pode continuar com suas atividades normais devido a esses sintomas, você pode tomar medicamentos como paracetamol ou ibuprofeno. Consulte o médico para obter conselhos sobre a medicação. "

Vários grupos médicos e de saúde, incluindo o Henry Ford Health System e UCI Health, desaconselham o uso de analgésicos profiláticos antes da vacina, mas concordam que é normal tomar analgésicos de venda livre para o desconforto pós-vacinação.

“Tomar medicamentos de venda livre, como paracetamol e ibuprofeno, antes de receber a vacina pode reduzir sua capacidade de agir e atenuar a resposta imunológica à vacina”, aconselha UCI Health. "Após a vacinação, não hesite em tomar um medicamento sem receita se tiver sintomas que o incomodem."

Não tive efeitos colaterais após a vacina. Isso significa que não está funcionando?

Assim como algumas pessoas experimentam efeitos colaterais de medicamentos e outras não, as reações às vacinas são variadas. Embora muitas vezes ouçamos mais sobre reações desagradáveis ​​após a vacina, muitas pessoas sentem apenas um leve desconforto ou nenhum sintoma após receber a dose.

No ensaio da Pfizer, por exemplo, cerca de metade dos participantes sentiu fadiga. Outros efeitos colaterais ocorreram em pelo menos 25 a 33 por cento dos pacientes, incluindo dores de cabeça, calafrios e dores musculares. Isso significa que metade ou mais dos participantes não tiveram esses efeitos colaterais, mas a eficácia geral da vacina foi de 95 por cento, sugerindo que a falta de efeitos colaterais não significa que a vacina não está funcionando. Também sabemos que as pessoas mais velhas tendem a relatar menos efeitos colaterais do que as pessoas mais jovens, provavelmente porque o sistema imunológico não é tão forte na velhice. À medida que as pessoas envelhecem, as defesas do corpo contra os patógenos enfraquecem e a resposta às vacinas também falham. Mas nos testes das vacinas Pfizer e COVID, os idosos produziram níveis adequados de anticorpos, indicando uma forte resposta imunológica após a vacinação. Se você não tiver nenhum efeito colateral após a injeção, fique feliz por ser um dos sortudos e não se preocupe. Falta de efeitos colaterais nada significam.

ESTE INFORMATIVO CONTINUARÁ A EVOLUIR DURANTE O PROCESSO DE VACINAÇÃO. Volte Sempre para se informar!