Junto a Nova Iorque e Milão, Campo Grande fica entre cidades mais arborizadas pelo segundo ano - Caarapó Online

Caarapó - MS, domingo, 18 de abril de 2021


Junto a Nova Iorque e Milão, Campo Grande fica entre cidades mais arborizadas pelo segundo ano

Além da de Campo Grande, apenas outras duas cidades brasileiras entraram para a rede, São Carlos e São José dos Campos, ambas em São Paulo

Publicado em: 07/03/2021 às 16h45

Gabrielle Tavares

Campo Grande ficou entre as 120 cidades, de 63 países, reconhecidas como uma “Cidades Árvore do Mundo” (em inglês, Tree Cities of the World) pelo segundo ano consecutivo. O título representa reconhecimento para as cidades que se comprometem em cultivar e manter florestas urbanas.

O programa foi fundado pela The Arbor Day Foundation, maior organização sem fins lucrativos dedicada ao plantio de árvores do mundo, e pela Organização das Nações Unidas (ONU) para Alimentação e Agricultura (FAO).

Além da de Campo Grande, apenas outras duas cidades brasileiras entraram para a rede, São Carlos e São José dos Campos, ambas em São Paulo. A Capital sul-mato-grossense divide o título ao redor do mundo com cidades como Nova Iorque, São Francisco, Milão, Guadalajara e Madri.

“Aplaudimos todas as cidades que ganharam a designação de Cidades Árvores do Mundo”, disse Dan Lambe, presidente da Arbor Day Foundation. “Eles são líderes no planejamento e manejo de suas florestas urbanas. Esta distinção é uma celebração de sua criatividade e sustentabilidade na criação de espaços urbanos mais saudáveis”.

São cinco requisitos necessários para integrar a rede Tree Cities of the World: ter setor específico responsável pela arborização; ter políticas públicas e jurisdições para a proteção e manutenção de sua floresta urbana; realizar inventários, estudos e planos em longo prazo para implantação e manejo de arborização; investir orçamento anual para o manejo arbóreo; e realizar, pelo menos uma vez no ano, celebração do dia da árvore, como medida para conscientização da população.

“Este é o reconhecimento internacional mais importante no quesito de florestas urbanas. Para participar do programa, o município envia os dados que são auditados, demonstrando nossas efetivas ações”, pontuou a superintendente de fiscalização e gestão ambiental da Semadur, Gisseli Giraldelli.

O plantio de árvores em áreas urbanas causa benefícios como redução dos custos de energia, gerenciamento de águas pluviais e controle da erosão. O secretário municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana, Luís Eduardo Costa alegou que o maior desafia da secretaria é conciliar conservação ambiental com o desenvolvimento urbano.

“Mais que um título, esse reconhecimento resulta também em qualidade de vida além da proteção aos recursos naturais. E grandes são os avanços na cidade de Campo Grande”.

O programa foi criado em 2018, durante o Fórum Mundial de Florestas Urbanas, na Itália, onde líderes mundiais lançaram o Desafio das Cidades Verdes e uma chamada de ação que incluía a adesão ao programa Cidades Árvores do Mundo.

O objetivo é conectar as cidades ao redor do mundo em uma nova rede dedicada a compartilhar e adotar as abordagens mais bem-sucedidas para o gerenciamento de árvores e florestas comunitárias.

O título foi conquistado pela primeira vez em 2020, quando a Capital ficou ao lado de cidades como Paris, Turin, Milão, Madri, Nova Iorque, Washington, São Francisco, Atlanta, Toronto, Auckland e Guadalajara.