Vacinação de ex-candidata a vereadora, e recepcionista gera indignação por idosos - Caarapó Online

Caarapó - MS, segunda-feira, 19 de abril de 2021


Vacinação de ex-candidata a vereadora, e recepcionista gera indignação por idosos

Pessoas com comorbidades ainda não foram inclusas nas listas para vacinação e situação gera desconforto nos moradores

Publicado em: 05/03/2021 às 06h29

Bruna Pasche

A ex-candidata a vereadora em Coxim (MS) pelo PSL, Ilza Schutz, além de outros funcionários do administrativo do Hospital Regional Dr. Álvaro Fontoura Silva, foram vacinados esta semana, antes de grupos prioritários como o de pessoas com comorbidade. A situação, mesmo que regularizada, gerou indignação e críticas na cidade.

Em contato com Ilza, de 34 anos, que trabalha no setor de contabilidade do hospital fomos informados que a situação é normal e necessária. "Não é porque estamos no setor administrativo que não corremos os mesmos riscos. Não fui só eu que tomei, todo mundo aqui tomou. Agora por exemplo estou no corredor onde todo mundo passa, não temos contato direto apenas com os pacientes, mas com todo o resto sim", disse.

Outro funcionário, dessa vez da recepção, comemorou a vacinação em sua rede social. "Estou desde o início da pandemia na linha de frente da Covid-19, e embora a vacina não consiga atender toda a população de imediato, alegro-me por desfrutar dessa proteção. Espero de coração que haja resultados positivos dessa experiência, que a população seja vacinada na sua totalidade, e que a gente vença de uma vez por todas essa maldita doença", Luciano Alves.

A alegria não é compartilhada pela maioria indignada com idosos, fora da idade da faixa de vacinação atual, mas com comorbidades, sendo mandados para casa sem tomar a dose.

"É de cortar o coração, hoje mesmo chegou uma senhora chorando pedindo vacina para o marido que é cardíaco, mas como ele só tem 72 anos e não está na faixa de vacinação dessa remessa, tive que a mandar para casa e é assim todo dia. Nós ficamos muito mal e pedimos para voltarem daqui uns 15 dias, torcendo para que o grupo seja priorizado", contou uma funcionária do Hospital Regional que preferiu não se identificar.

"Não seria justo vacinar pessoas com comorbidades e a faixa etária entre 60 e 79 anos para vacinar administrativos da Secretaria de Saúde e do Hospital Regional de Coxim?", indagou um leitor. Questionado, o coordenador de vigilância epidemiológica e imunização, willian Pompilio informou que o calendário segue o Protocolo de Vacinação do Ministério da Saúde, que garante doses a esses trabalhadores.

"Nós começamos vacinando os profissionais da saúde da linha de frente, acamados acima de 80 anos, idosos acima de 80 anos e também os trabalhadores da área da saúde em geral, incluindo os administrativos. A recomendação é priorizar os que tem mais de 60 anos, mas como a maioria dos nossos funcionários tem menos que isso, as doses também foram transferidas a eles", explicou.

A situação também foi questionada pela Câmara Municipal da cidade. O vereador Abilio Vaneli chegou a fazer um requerimento no Ministério Público solicitando ampla transparência nos portais de comunicação do município, que segundo ele, não estão claras.

"Os nossos números não batem com os que são informados pelo Governo do Estado. Nós pedimos a ampla divulgação desse cenário, inclusive a lista de pessoas já vacinadas e a publicação do Plano Municipal de Vacinação para que as pessoas não tenham essas dúvidas, porque se você ouvir isso sem saber que é uma recomendação, realmente é revoltante. Nós estamos vivendo um momento de muitas incertezas e isso só reforça o sentimento", concluiu.