Auxílio emergencial: governo revelou como será feita a seleção de beneficiários - Caarapó Online

Caarapó - MS, quinta-feira, 4 de março de 2021


Auxílio emergencial: governo revelou como será feita a seleção de beneficiários

Veja na reportagem se será necessário realizar uma nova inscrição ou não

Publicado em: 18/02/2021 às 06h21

Gabriel Maymone

O pagamento do novo auxílio emergencial deve começar em março, com valor que pode ser de R$ 200 ou R$ 250 por quatro meses, conforme o que ficar definido junto ao Congresso Nacional. Enquanto a medida não é anunciada, o governo revelou como será feita a seleção dos beneficiários do programa de ajuda federal.

Conforme o Ministro da Economia, Paulo Guedes, adiantou, não será possível atender a todos os 64 milhões que receberam na primeira etapa. Portanto, a previsão é de que os novos valores sejam pagos a no máximo 40 milhões de brasileiros.

Para selecionar quem será contemplado, o ministro adiantou que não será necessário realizar uma nova inscrição, pois o Ministério da Cidadania irá fazer uma ‘peneirada’ dos cadastros na base do governo para identificar quem atende aos novos critérios. Porém, não foi detalhado a faixa de renda ou quais outros critérios serão adotados.

Outra definição do ministério da Economia foi não conceder o pagamento dobrado a mulheres chefes de família, que chegaram a receber R$ 1,2 mil na primeira fase do auxílio emergencial, que era de R$ 600/pessoa.

O ministério da cidadania deverá realizar uma nova seleção, entre os já registados no Cadastro Único (CAD), priorizando aqueles de menor renda. Segurados do Bolsa Família, por exemplo, deverão ficar de fora do programa, uma vez em que já recebem benefício federal.

Até o momento não foram anunciadas as novas regras de seleção do novo auxílio emergencial, mas acredita-se que levará em consideração uma faixa salarial mínima, excluindo até mesmo os desempregados com acesso ao seguro-desemprego.

Não é descartada a possibilidade de prorrogação, assim como ocorreu no ano passado, quando o programa começou com pagamento de 5 parcelas de R$ 600 e foi estendido por mais 3 meses, com valor de R$ 300 e para um número menor de trabalhadores.