Traficante que levava droga junto com fiéis a SP já estava preso por bater na esposa - Caarapó Online

Caarapó - MS, sábado, 6 de março de 2021


Traficante que levava droga junto com fiéis a SP já estava preso por bater na esposa

Janqui Fernandes Prado foi preso em flagrante no dia 13 deste mês depois de arrastar a ex pelos cabelos

Publicado em: 27/01/2021 às 07h15

Clóvis Oliveira

Janqui Fernandes Prado, 49, um dos alvos da Operação Viagem Santa, deflagrada na semana passada pela Polícia Federal para desvendar esquema de tráfico de drogas em ônibus de turismo religioso, já estava preso, por violência doméstica. Há pelo menos duas semanas ele ocupa cela na Penitenciária de Dourados, cidade a 233 km de Campo Grande.

O empresário é dono da Prado Viagens e Turismo, uma das três empresas investigadas na operação. As outras são a Euro Tur e uma empresa do mesmo ramo, localizada em Deodápolis. Foi no ônibus da Prado Tur que policiais rodoviários federais e agentes da PF encontraram 556 quilos de cocaína pura, em maio de 2019.

Na quinta-feira (21.01), a PF saiu às ruas de Dourados e Deodápolis para cumprir dez mandados de prisão, 14 mandados de busca e apreensão e 20 ordens judiciais para sequestro de contas bancárias e bens móveis e imóveis.

Os nomes dos alvos não foram informados, mas a reportagem apurou que Janqui e o dono da Euro Tur, José Pereira Barreto, estavam entre eles. Janqui já estava “guardado” na PED e Barreto não teria sido encontrado, sendo considerado foragido.

Violência doméstica – Janqui Fernandes Prado foi preso em flagrante no dia 13 deste mês por equipes da Delegacia de Atendimento à Mulher, após a ex-mulher dele, de 38 anos, afirmar ter sido agredida na sede da empresa Prado Tur, localizada no Jardim Laranja Doce, região leste da cidade.

Separada do empresário depois de mais uma briga, no último dia de 2020, a mulher informou à polícia ter ido à empresa para levar as roupas e outros pertences de Janqui. Em mais uma sessão de agressões, ela afirma ter sido retirada do local pelos cabelos.

Na delegacia, a mulher contou detalhes das várias agressões e ameaças que sofreu nos cinco anos em que viveu com o empresário. Um dos casos mais graves ocorreu em 6 de maio do ano passado, quando foi atingida na coxa esquerda por um tiro de pistola disparado por Janqui Prado.

Ela disse que naquela noite o empresário chegou em casa bêbado e a agrediu querendo saber do celular dele. Para escapar das agressões, ela se trancou no quarto e Janqui disparou dois tiros na porta. Uma das balas atravessou a coxa da mulher. A vítima afirma que, por medo, nunca procurou a polícia para relatar os atos de violência do marido. Ele prometia matá-la se fosse denunciado e preso.

Apesar de não ter feito nenhum boletim de ocorrência contra o marido até o dia da prisão dele, a mulher tirou fotos das lesões causadas pelas agressões. Também registrou e armazenou a foto da perfuração de bala na perna, mesmo tendo reatado o relacionamento após os tiros. As fotos fazem parte da ação penal.

Preventiva – No dia 14 de janeiro deste ano, o juiz Alessandro Leite Pereira, da 4ª Vara Criminal de Dourados, decretou a prisão preventiva de Janqui Fernandes Prado. Na decisão, ele cita que a prisão preventiva, com validade até 31 de janeiro de 2024, se torna necessária para resguardar a integridade física e psíquica da vítima.

Ontem (26.01), o juiz Alessandro Leite Pereira aceitou a denúncia do Ministério Público e o empresário se tornou réu por violência doméstica. O magistrado também concedeu medida protetiva à ex-mulher para impedir a aproximação dele, caso consiga liberdade.