Engenheira e ex-aeromoça é eleita corregedora da Câmara Municipal de Curitiba (PR) - Caarapó Online

Caarapó - MS, segunda-feira, 18 de janeiro de 2021


Engenheira e ex-aeromoça é eleita corregedora da Câmara Municipal de Curitiba (PR)

Engenheira e ex-aeromoça é eleita corregedora da Câmara Municipal de Curitiba

Publicado em: 03/01/2021 às 08h03

Bem Paraná

A vereadora Amalia Tortato, do Novo, foi eleita corregedora da Câmara Municipal de Curitiba (CMC). Ela se lançou ao cargo em chapa formada também pelo vice Osias Moraes, vereador do Republicanos. Eles ganharam votos de 24 dos 38 vereadores. Outros 14 vereadores votaram na chapa formada pelos vereadores Marcelo Fachinello (PSC) e Maria Leticia (PV).

A eleição para os principais cargos da Mesa Diretora do CMC não teve bate-chapa e Tico Kuzma acabou eleito por unanimidade.

Amalia Tortato, 36 anos, é formada em Engenharia Mecânica pela UFPR e já trabalhou como aeromoça. Conheça mais sobre a vereadora. 

Foi a frustração com um pequeno negócio de uma loja móvel de roupas em 2011 que não foi para frente por causa da burocracia que fez Amália Tortato (Partido Novo) despertar para a importância da participação política. Essa frustração e o descontentamento com os rumos do País fez com que ela desistisse de morar no exterior para se filiar ao partido Novo, e ser eleita vereadora de Curitiba (PR) com 3.092 votos.

Nascida em Telêmaco Borba (PR), ela se mudou para a Capital aos 18 anos para estudar e não voltou mais. Chegou a se formar em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) mas deixou a profissão para realizar o sonho de ser aeromoça. Agora na Câmara Municipal, ela conta em entrevista que pretende se dedicar à educação infantil, à desburocratização e a fiscalizar as ações da gestão do prefeito Rafael Greca, de quem promete uma postura de independência.

CHAPA 1
24 votos
Corregedor: Amália Tortato (Novo)
Vice: Osias Moraes (Republicanos)

CHAPA 2
14 votos
Corregedor: Marcelo Fachinello (PSC)
Vice: Maria Leticia (PV)

Como foi seu envolvimento com a política?

Amália responde – Na verdade foram dois fatores que me incentivaram. Em 2011, 2012, eu já era empreendedora. Tive uma loja móvel. Era um conceito inovador na época. Não se ouvir falar de food truck. E a gente resolveu fazer uma loja móvel de roupas. Só o que aconteceu foi que não existia na época, como até hoje não existe uma regulamentação específica para esse tipo de negócio.

E a prefeitura acabou nos enquadrando na regulamentação dos ambulantes. E a regulamentação dos ambulantes que diz que eles têm um dia, um horário e um local fixo para trabalhar. Com isso o conceito de nosso negócio móvel foi abaixo e a gente não conseguiu levar o empreendimento em frente. E ali foi onde deu o primeiro estalo. Tem alguma coisa errada aí. A gente tentando empreender, gerar renda, com empresa aberta, pagando imposto, tudo certinho e ainda assim a gente não conseguiu levar o negócio para frente.

Eu guardei a frustração de lado, os anos se passaram. 2016 eu já conhecia meu marido, ainda não tinha a minha filha. E a gente estava revoltado com a situação do País, crise econômica, Lava Jato, tanta coisa errada. A gente pensou em morar fora do Brasil em busca de qualidade de vida. Nesse meio tempo em que a gente estava arrumando as coisas para ir embora a minha avó ficou doente e veio a falecer. E aí me deu o segundo estalo. Já imaginou se eu estou do outro lado do mundo e acontece alguma coisa com alguém da minha família.

O que eu vou fazer? Eu não gostaria de passar por essa situação. Então a gente resolveu ficar no Brasil. Só que aí eu já não conseguia só ficar assistindo as notícias no jornal. Eu preciso fazer alguma coisa para mudar. Não estou contente com o que estou vendo. Então foi aí que eu peguei aquela minha primeira frustração e resolvi me envolver, comecei a me preparar, estudar para realmente entrar na política e fazer alguma coisa para mudar o cenário que eu não estava satisfeita. De 2016 para cá já venho me preparando. Em 2018 fui candidata a deputada federal. Em 2019, fiz dois cursos da Rede de Ação Política pela Sustentabilidade (Raps) e o Renova BR. Até então minha relação com a política era nenhuma.

Acho que levei muito tempo para entender a importância da política. Eu era daquelas pessoas que não queriam saber. Não gostava. Fiquei até meio alienada durante bastante tempo até entender que tudo o que os políticos decidiam impactam na nossa vida.