Prefeitura de Caarapó restringe estacionamento de veículos na área central da cidade - Caarapó Online

Caarapó - MS, segunda-feira, 19 de abril de 2021


Prefeitura de Caarapó restringe estacionamento de veículos na área central da cidade

Prefeitura de Caarapó restringe estacionamento de veículos na área central da cidade

Publicado em: 14/12/2020 às 12h10

Dilermano Alves

A situação caótica provocada por grandes aglomerações de pessoas na área central da cidade de Caarapó no período noturno, especialmente na região onde se concentram as conveniências, levou a administração municipal a expedir ato com o objetivo de conter a propagação do novo coronavírus. A medida restringe o estacionamento de veículos nos canteiros centrais da Rua Fernando Correa da Costa, entre as Ruas 7 de Setembro e Euclides Serejo Batista, e Avenida Barão do Rio Branco, entre as Ruas XV de Novembro e Arcênio Cardoso.

A restrição é válida a partir de sexta-feira passada (11.12) e a proibição se dá entre as 20h e as 5h. Entre outros motivos para a decretação da medida, a prefeitura alega a poluição sonora registrada no local devido à concentração de pessoas e veículos na região central onde há conveniências, a perturbação do sossego público e a reclamação formal de moradores da região junto à Justiça.

O Departamento Municipal de Transporte e Trânsito (Demtrat) deverá fixar placas de sinalização no quadrilátero determinado pelo decreto municipal e fará a pintura em amarelo nos locais onde será proibido estacionar. A fiscalização ficará a cargo das polícias Militar e Civil.


Governo decreta toque de recolher em todos os municípios de MS

O Governo do Estado de Mato Grosso do Sul acaba de adotar medidas mais restritivas para conter o avanço da Covid-19 no Estado, obrigado os 79 municípios a impor toque de recolher entre as 22h e as 5h e assegurando que todas as cidades cumpram o programa Prosseguir, com as recomendações de cada bandeira em que o município esteja listado.

O secretário de Saúde do Estado, Geraldo Resende, disse que as medidas mais firmes visam ter, de fato, uma unidade para todos os municípios. "Só assim vamos evitar que a situação fique ainda mais grave. Precisamos diminuir a mobilidade social, para que só atividades essenciais sejam cumpridas em determinados municípios que seja necessário e ao mesmo tempo evitar a superlotação dos leitos hospitalares", disse, em entrevista ao portal G1.

O ato do governo do Estado de MS publicou (11.12) as novas normas devem valer a partir desta segunda-feira (14.12).