Marquinhos Trad recebe 218,4 mil votos e é reeleito prefeito de Campo Grande (MS) - Caarapó Online

Caarapó - MS, quarta-feira, 25 de novembro de 2020


Marquinhos Trad recebe 218,4 mil votos e é reeleito prefeito de Campo Grande (MS)

Em segundo lugar, Sérgio Harfouche (sob judice) com 11,58% e Pedro Kemp (PT) em terceiro com 8,32%

Publicado em: 16/11/2020 às 06h18

Mayara Bueno

Marquinhos Trad (PSD) recebeu 218,418 mil votos e é reeleito prefeito de Campo Grande com 52,58%, segundo apuração das eleições 2020. Em segundo lugar, Sérgio Harfouche (Avante) recebeu 11,58% (48.094 votos) e Pedro Kemp (PT), em terceiro, com 8,32% (34.546 votos).

Agora reeleito, o prefeito acompanhou a apuração na casa de sua mãe e disse que, após a divulgação do resultado, iria para seu comitê de campanha na Avenida Afonso Pena. A divulgação do resultado sai quase 4 horas depois do fim da votação, depois de falhas no sistema.

Antes de se dirigir à sede da campanha, Marquinhos está no TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) com a vice-prefeita reeleita, Adriane Lopes (Patriota).

Vinícius Siqueira (PSL) teve 8,20% (34.066 votos); Delegada Sidnéia Tobias (Podemos), 4,60% (19.103); Marcio Fernandes (MDB), 3,01%; (12.522); Esacheu Nascimento (PP), 2,45% (10.170); João Henrique (PL), 2,44% (10.123), Marcelo Miglioli (SD), 1,90% (7.899 votos); Dagoberto Nogueira (PDT), 1,57% (6.507 votos); Guto Scarpanti (Novo), 1,16% (4.811 votos); Cris Duarte (PSOL), 1,11% (4.621); Marcelo Bluma (PV), 0,64% (2.657), Paulo Matos 0,45%. (1.884).


Biografia


Aos 56 anos, filho de Nelson Trad e Therezinha Mandetta, Marquinhos é casado e tem quatro filhas. Advogado, ele é formado em Direito pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e foi eleito prefeito pela primeira vez em 2016, quando obteve 58,77% dos votos no segundo turno contra Rose Modesto (PSDB).

Já foi conselheiro da OAB/MS, presidente do Tribunal de Justiça Desportiva de Mato Grosso do Sul e professor universitário. O prefeito reeleito iniciou a carreira política como vereador em 2004 e permaneceu na Câmara Municipal por dois anos, porque, em 2006, se elegeu deputado estadual. Na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul permaneceu até 2016, após consecutivas reeleições.

O primeiro mandato como chefe do Executivo municipal, que termina em 31 de dezembro de 2020, foi marcado por retomada de obras e projetos, como a reestruturação do Centro de Campo Grande. O segundo mandato começa em 1º de janeiro e vai até 31 de dezembro de 2024.