‘Guru’ estelionatário, de prática de meditação vira réu por estupro de vulnerável - Caarapó Online

Caarapó - MS, sábado, 24 de outubro de 2020


‘Guru’ estelionatário, de prática de meditação vira réu por estupro de vulnerável

Kadomoto responde na Justiça por cinco estupros de vulnerável e por lesão corporal grave

Publicado em: 14/10/2020 às 08h03

Agências

Tadashi Kadomoto, tido como um “guru” da meditação, foi denunciado por estupro de vulnerável e lesão corporal grave por uma ex-paciente e ex-estagiária. Segundo o Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP), os estupros teriam ocorrido em Itatiaia (RJ), em Campinas (SP) e em São Paulo.

Há quase três décadas, Kadomoto oferece terapia, cursos e treinamento. Para o MP, ele se aproveitou vulnerabilidade da vítima para cometer abusos sexuais.

“A primeira vez que eu percebi que a abordagem estava inadequada foi em 2007, quando eu terminei o meu curso de formação do Expansão de Consciência ele me convidou para estagiar nesse mesmo curso”, disse uma mulher abusada ao Fantástico de domingo, 11.10.

“Em um dos dias desse treinamento, a gente assiste alguns filmes que tem a ver com o contexto que está sendo estudado. Em um desses filmes, ele deitou no meu colo e começou a acariciar minha perna, a minha coxa.”

O que fazer caso eu seja vítima de um assédio?

Peça ajuda a quem estiver por perto e acione policiais que estiverem no local. Depois, registre um boletim de ocorrência na delegacia mais próxima. Casos assim não podem ser registrados por boletim de ocorrência online;

Guarde todas as informações que conseguir referentes ao assédio: anote o dia, horário e local, nome e contato de testemunhas, características do agressor, tire fotos, filme etc. Verifique também se há câmeras no local do crime, pois, a partir disso, as imagens poderão ser solicitadas.

Quando fizer o boletim de ocorrência ou qualquer outro tipo de denúncia, é importante levar o maior número de provas do ocorrido. Isso inclui vídeos e fotos no celular, testemunhas, conversas em redes sociais, entre outras. As autoridades policiais precisam de material para conduzir a investigação e a depender do caso, repassar para o Ministério Público. Muitos casos não seguem por falta de provas ou falta de indícios de quem é o autor;

Infelizmente, é comum o uso de drogas como “Boa Noite Cinderela” e outras para que a vítima fique sonolenta e mais suscetível ao estupro. Caso o abuso tenha ocorrido através desta prática, é importante que a vítima faça o Exame Toxicológico (através de exame de sangue e urina) em no máximo 5 dias após a ingestão. O ideal é realizar o exame o quanto antes possível;

Você pode fazer uma denúncia pelos telefones da Polícia Militar (190) e do Disque 180;

É importante ressaltar que a autoridade policial não pode se recusar a registrar a ocorrência. Infelizmente, há casos em que a autoridade policial tenta dissuadir a vítima de fazer o boletim. Caso isso aconteça, registre uma reclamação na ouvidoria do órgão em que ocorreu a recusa. Sendo ineficaz, procure o Ministério Público local para denunciar a recusa e o crime.