Black Cat: 60 bancas do jogo do bicho foram lacradas pelo Garras na capital - Caarapó Online

Caarapó - MS, sábado, 24 de outubro de 2020


Black Cat: 60 bancas do jogo do bicho foram lacradas pelo Garras na capital

Bicho seria vendido a R$ 60 milhões para o grupo de jogos da cidade do Rio de Janeiro

Publicado em: 24/09/2020 às 07h32

Tatiana Melo

A operação Black Cat que lacrou 60 bancas do bicho em Campo Grande, na 4 fase da Omertà, na quarta-feira (23.09) deve ter continuidade nesta quinta-feira (24.09) com o fechamento de outras bancas que não foram lacradas. O jogo do bicho estava sendo negociado por cerca de R$ 60 milhões para om Rio de Janeiro. Nesta manhã de quinta (24.09), as bancas amanheceram abandonadas.

Informações são de todos que foram levados para a delegacia já foram liberados depois de assinarem um TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência), e nesta quinta (24) outras bancas que não foram lacradas serão alvo da operação do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco e Resgate a Assaltos e Sequestros) e do Gaeco.

Outros pontos de venda de jogo do bicho também serão mapeados pela operação. Segundo informações o que for atividade mista, com venda de revista será fiscalizado e poderá ter o alvará cassado. Já em relação ao Pantanal Cap, o que estiver em acordo com as normas continuará com suas atividades, mas se forem flagrados vendendo jogo do bicho serão lacrados. Na operação desta quarta (23) cerca de 15 pessoas foram levadas para a delegacia.

Segundo apurado pela imprensa local, os responsáveis por comandarem a atividade ilícita de jogos de azar em Campo Grande estariam com intenção de vender o ‘negócio’. Assim, chegariam a lucrar algo em torno de R$ 60 milhões com a venda para os responsáveis pelo jogo do bicho no Rio de Janeiro.

No entanto, uma primeira ação do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco e Resgate a Assaltos e Sequestros) há pouco menos de dois meses e a operação deflagrada antecipadamente nesta quarta-feira podem enfraquecer o negócio. Na primeira ação, uma barraca de jogo do bicho que ficava logo atrás da delegacia foi alvo.

Assim, foi localizada uma espécie de central de recolhimento do bicho, onde funcionava uma oficina de fachada no Estrela do Sul. Naquele dia, um dos responsáveis teria passado no local após ser alertado e conseguiu fugir com o dinheiro. Mesmo assim, anotações e talões acabaram apreendidos.

Já a Black Cat precisou ser antecipada, já que houve vazamento de que a operação seria realizada. Assim, responsáveis pelas barracas acabaram avisando via WhatsApp para que os outros fechassem as barracas por pelo menos 10 dias e parassem as vendas. Então, como havia equipes do Garras nas ruas, foi determinada a antecipação da operação.