Especialista prevê PT como simples coadjuvante de Psol e PCdoB nestas eleições - Caarapó Online

Caarapó - MS, segunda-feira, 19 de outubro de 2020


Especialista prevê PT como simples coadjuvante de Psol e PCdoB nestas eleições

Para Murilo Hidalgo, PT "tem tudo para virar um simples coadjuvante do Psol e PCdoB, nos grandes centros urbanos”

Publicado em: 21/09/2020 às 07h18

Cláudio Humberto

O declínio eleitoral do Partido dos Trabalhadores chama atenção para o presidente do instituto Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo. Em 2016, o partido de Lula perdeu 60% das prefeituras que conquistou em 2012 e a expectativa para 2020 é ainda pior. “O PT tem tudo para virar coadjuvante do Psol e PCdoB, nos grandes centros urbanos”, prevê Hidalgo. O exemplo mais óbvio é a candidatura de Guilherme Boulos a prefeito de São Paulo, com apoio do PT, que não terá candidato próprio.

O único nome possível do PT em São Paulo é do ex-prefeito Fernando Haddad. Ainda assim ele aparece em 2º ou 3º colocado nas pesquisas.

Murilo Hidalgo cita outro exemplo: o atual prefeito de Belém do Pará, Edmilson Rodrigues (Psol), que já ganhou apoio do PT no início do ano.

Em Salvador (BA), até o candidato do PCdoB aparece à frente do candidato do PT, que é o partido do governador da Bahia, Rui Costa. O PT já não governa nenhuma das 100 maiores cidades do Brasil, incluindo as 26 capitais estaduais e o DF.


Cidades com alguma coligação


Ilha Solteira (SP), na região de Araçatuba, é a cidade com o menor número de eleitores entre as cinco: 21.796, segundo os dados mais recentes do TSE. Lá, a coligação “Avante Ilha” tem PDT, PT, PSL, PL e Cidadania. Todos apoiam o candidato à prefeitura Rodrigo Kokinho (PL).

Alessandro Rodrigues, conhecido como Tomate, presidente do PT em Ilha Solteira (SP), negou inicialmente, em nota, haver coligação com o PSL. Rodrigues afirmou que integra uma frente apenas com PDT, PL e Cidadania para derrotar o PSDB na cidade. A ata do PT não menciona o PSL. No entanto, as atas de convenção de todos os demais partidos apontam a coligação com PT e PSL juntos em Ilha Solteira.

Pela legislação eleitoral, as atas de partidos precisam reproduzir as mesmas coligações. Isso significa que o PT terá que retificar a ata da sua convenção, sob pena de expor a coligação ao risco de indeferimento pela Justiça Eleitoral. Questionado a respeito, Tomate disse então ao G1 que o secretário-geral do partido em Ilha Solteira fará a retificação até 25 de setembro, dentro do prazo legal, para incluir a coligação completa -- inclusive o PSL.


Em Palmeira dos Índios (AL), cidade com 50.805 eleitores, os partidos integram a chapa "A mudança continua", em que o prefeito Julio Cezar, do PSB, é candidato à reeleição. Outros seis partidos integram a coligação. "O PT é aliado ao PSB e ao Cidadania. Quem estendeu a aliança ao PSL foi a candidatura majoritária [PSB]", disse Ricardo Barbosa, presidente do diretório do PT em Alagoas. Ele mesmo é candidato -- à prefeitura de Maceió. Na ata do partido, no entanto, são relacionadas todas as agremiações da coligação: 11, entre os quais PT e PSL.

Na cidade de Trindade (PE), no sertão pernambucano, o PT apoiará a eleição de Helbinha de Rodrigues, candidata do PSL à prefeitura local, na coligação "Uma nova história". Será o único apoio do partido, entre os seis listados, a uma chapa majoritária do rival. O G1 não conseguiu contato com representantes dos dois partidos na cidade, que tem 22.278 eleitores.