Athletico muda meio time, perde pênalti, empata com o Botafogo e amplia jejum - Caarapó Online

Caarapó - MS, segunda-feira, 28 de setembro de 2020


Athletico muda meio time, perde pênalti, empata com o Botafogo e amplia jejum

Athletico Paranaense muda meio time, perde pênalti, empata com o Botafogo e amplia jejum de gols

Publicado em: 10/09/2020 às 07h07

Silvio Rauth Filho

O Athletico empatou em 1 a 1com o Botafogo, na quarta-feira (09.09), na Arena da Baixada, pela 9ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o time paranaense ficou com 8 pontos, perto da zona de rebaixamento. A equipe carioca está no meio da tabela, com 9 pontos.

O time paranaense não vence há sete partidas (cinco derrotas e dois empates). A última vitória foi sobre o Goiás, em 12 de agosto. O Botafogo não venceu nas últimas cinco rodadas do Brasileirão. Foram quatro empates e uma derrota. Para a partida, o técnico Eduardo Barros fez cinco modificações no time em relação ao último jogo.

ESCALAÇÃO

As baixas no Athletico eram Richard e Canesin, por opção da comissão técnica, além de Vitinho, em recuperação. Wellington ficou fora por estar envolvido em negociação com outros clubes. Nikão e Thiago Heleno voltaram após lesão. No total, foram cinco mudanças na escalação em relação ao último jogo, com as saídas de Lucas Halter, Pedro Henrique, Richard, Geuvânio e Christian. E as entradas de Jonathan, Aguilar, Thiago Heleno, Lucho González e Nikão.

O Botafogo não tinha o lateral-esquerdo Guilherme Santos (ex-Paraná Clube), o goleiro Gatito Fernández e o japonês Honda, todos em recuperação. O técnico Paulo Autuori manteve o sistema de jogo com três zagueiros.

ESQUEMA TÁTICO

Eduardo Barros armou o Athletico no 4-2-3-1, com Cittadini e Erick de volantes. O setor ofensivo tinha Nikão (direita), Lucho (centro) e Fabinho (esquerda), além de Bissoli como centroavante.

PRIMEIRO TEMPO

O Athletico dominou a primeira etapa, com mais posse de bola (66%) e mais finalizações (8 a 2). Teve quatro boas jogadas ofensivas. O Botafogo ficou recuado e teve dificuldades para jogar. Sua única jogada expressiva foi um gol anulado pelo VAR, aos 43, quando Caio Alexandre recebeu em posição de impedimento e cruzou para Nazário marcar.

SEGUNDO TEMPO

Depois do intervalo, o Athletico manteve mais posse de bola e controle territorial do jogo. No entanto, teve mais dificuldades para construir jogadas ofensivas. O Botafogo seguiu recuado e quase não conseguiu contra-atacar, mas melhorou a marcação. Aos 13, as primeiras substituições no Athletico, com as entradas dos volantes Alvarado e Christian. Aos 23, entraram Khellven e Geuvânio.

GOL DE PÊNALTI

O jogo parecia caminhar para um empate sem gols, sem nenhuma jogada de perigo dos dois times. No entanto, aos 31, após cruzamento, o árbitro marcou pênalti de Alvarado em Rhuan. Os dois chegaram chutando a bola no alto, ao mesmo tempo. Os dois caíram no gramado. O árbitro entendeu que o colombiano do Athletico atingiu o jogador do Botafogo. O VAR verificou e confirmou. Victor Luís cobrou e fez 1 a 0.

EMPATE E CHANCES NO FIM DO JOGO

Aos 35, saiu o volante Erick e entrou o meia Ravanelli. O Athletico reagiu nos minutos finais. Aos 41, Christian lançou, Geuvânio dominou na área e tocou para Ravanelli chegar chutando: 1 a 1. Aos 45, pênalti por toque de mão de Forster, após cruzamento de Geuvânio e pressão de Christian em Forster. Nikão cobrou e chutou para fora. Outra chance perdida aos 49, quando Geuvânio chutou de fora da área e acertou o travessão.

ESTATÍSTICAS

Ao fim do jogo, o Athletico somou 17 finalizações (3 certas e 1 na trave), 61% de posse de bola, 90% de acerto nos passes e 7 escanteios. O Botafogo obteve 12 finalizações (5 certas), 39% de posse de bola, 82% de acerto passes e 3 escanteios. Os números são do site Sofascore.

ATHLETICO 1 x 1 BOTAFOGO

Athletico Paranaense: Santos; Jonathan (Khellven), Felipe Aguilar, Thiago Heleno e Márcio Azevedo; Erick (Ravanelli) e Léo Cittadini (Alvarado); Nikão, Lucho González (Christian) e Fabinho (Geuvânio); Bissoli. Técnico: Eduardo Barros.


Botafogo: Diego Cavalieri; Kevin, Benevenuto, Kanu, Forster e Victor Luís; Caio Alexandre, Luiz Otávio (Rentería), Kalou (Rhuan) e Bruno Nazário; Babi.

Técnico: Paulo Autuori
Gols: Victor Luís (34-2º) e Ravanelli (41-2º)
Cartões amarelos: Lucho (A).
Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araujo (SP)
Local: Arena da Baixada