Divórcios entre pessoas aumentam 164% na pandemia em Dourados (MS) - Caarapó Online

Caarapó - MS, domingo, 27 de setembro de 2020


Divórcios entre pessoas aumentam 164% na pandemia em Dourados (MS)

Divórcios aumentam 164% na pandemia em Dourados

Publicado em: 12/08/2020 às 06h56

Valéria Araujo

A procura por divórcio consensual aumentou 164% em Dourados (MS) durante o período de isolamento social provocado pela pandemia da covid-19. É o que mostra um levantamento feito pelo Cartório do 2º Ofício de Dourados. De março a julho foram lavradas 37 escrituras de divórcio esse ano contra 14 no mesmo período do ano passado. Nesse tipo de separação, também conhecida como "extrajudicial", casais podem se separar de forma mais rápida, pelo cartório, amigavelmente.

A causa por tras do aumento dos casos de separação pode estar relacionada ao confinamento dos casais durante a pandemia. É o que analisa a psicóloga clínica Sani da Silva Farias. Segundo ela, o aumento da convivência também aumenta os conflitos. "Atualmente vivenciamos um momento completamente novo e atípico. O Isolamento forçado imposto como medida preventiva por conta da Covid-19, tem afetado os relacionamentos familiares e conjugais de diversas formas, sobrecarregando-os física e emocionalmente", ressalta.


Ela explica que antes o que muitas vezes passava despercebido, agora ganha um grau de atenção com grandes proporções, se tornando uma bomba-relógio dentro de casa. "O convívio diário devido a quarentena tem levado diversos casais a se depararem com situações e problemas, que antes por conta do pouco tempo juntos não eram percebidos ou até mesmo negligenciados. A rotina imposta pelo confinamento pode elevar os níveis de ansiedade e estresse e atos como louça por lavar, tarefas dos filhos ou questões financeiras são "gatilhos" que geram desentendimentos", ressalta.


Psicóloga explica

Para superar os desafios do confinamento e manter uma vida saudável a dois na pandemia a psicóloga orienta: "Vivemos em um momento delicado, medidas inesperadas precisaram ser adotadas, e isso pode afetar de maneira negativa as relações interpessoais. Recomenda-se que as situações sejam analisadas com cautela e tolerância para que os conflitos possam ser solucionados por meio de dialogo amigável. Outra alternativa para manter uma vida conjugal saudável é olhar para si, isso não quer dizer "isolar" o outro, mas sim exercitar o autocuidado, fazendo algo que lhe proporcione felicidade. É tempo de cuidar-se, manifestar tolerância, empatia e amor por meio do autocuidado, isso reflete no outro", aconselha.


Tipos de divórcio

No Brasil há dois tipos de divórcios. No mais simples, chamado de "extrajudicial", casais podem se separar de forma mais rápida, pelo cartório, amigavelmente. O processo pode ser feito em cartório de notas, desde que superadas as seguintes imposições: não pode haver filhos menores ou incapazes; o casal deve estar de acordo e o casal estar acompanhado de advogado.

Em Dourados, por conta da pandemia, o advogado envia a documentação para o e-mail do Cartório do 2º Ofício, por exemplo, que providencia a lavratura da escritura e as partes vão ao local apenas para assinatura, o que diminui o tempo de espera.Via de regra, o divórcio por escritura pública é mais rápido e menos dispendioso, sendo, assim, uma boa alternativa às partes e um meio eficaz de desjudicialização.


Já o divórcio judicial ou litigioso é realizado diante de um juiz e envolve questões mais complexas como falta de consenso entre o casal, partilha de bens, pensão e guarda de filhos. Nesse tipo de separação, o cartório contabilizou 236 casos entre março e julho de 2019 contra 135 no mesmo período desse ano. Os dados são referentes as averbações de divórcio do Registro Civil dos casamentos que foram feitos naquele cartório. O motivo dessa essa diminuição pode estar relacionada ao fato de que o Judiciário que teve que diminuir as audiências presenciais por conta da pandemia.

Embora já utilizado nos grandes centros, o divórcio via videoconferência é uma realidade possível porém ainda não foi solicitada no Cartório do 2º Ofício. Para o tabelião Luis Degani essa é uma tecnologia recente, que habilita todos os cartórios de notas do país, a fazer escrituras eletrônicas com assinatura com certificado digital. "Acredito que com o tempo essa tecnologia irá prosperar e teremos um número maior de escrituras eletrônicas".

O cartório do 2º Ofício é privativo de Registro Civil (onde são averbados os divórcios de todos que casaram em Dourados, na sede do município) e também realiza escrituras (qualquer cartório de notas do Brasil pode fazer a escritura de divórcio).