Dono de Porsche irrita moradores e provoca barraco no residencial Dhama, na Capital - Caarapó Online

Caarapó - MS, quinta-feira, 6 de agosto de 2020


Dono de Porsche irrita moradores e provoca barraco no residencial Dhama, na Capital

Sem sossego na pandemia, moradores registraram três BOs contra o vizinho. Aglomeração, som alto e direção: dono de Porsche irrita moradores e provoca barraco no Dhama

Publicado em: 31/07/2020 às 09h29

Thatiana Melo

Nem mesmo com a pandemia e o número alto de mortes e contaminados em Campo Grande fez com que um morador do condomínio de luxo do Damha desistisse de festas, e aglomerações deixando os outros moradores irritados. Na quinta-feira (30.07), foram registrados contra o homem pelos condôminos.

Segundo informações, constantemente o morador que é dono de um Porsche, vive promovendo festas com aglomerações e gritarias, o que tem tirado o sossego dos moradores, que exigem que uma medida no âmbito criminal seja tomada contra o autor. Na quinta (30.07) foram registrados três boletins de ocorrência contra ele.

O morador arruaceiro já teria registrado contra ele cerca de 11 boletins de ocorrência que começaram em 2012. Desde o mês de abril deste ano já foram feitas oito reclamações contra as festas promovidas por ele no condomínio de luxo, sendo que em uma das ocasiões o autor estava em seu Porsche dirigindo de forma perigosa pelas ruas do condomínio colocando a vida de outros moradores em perigo.

Em 2019, ele teria trancado os filhos de 5 e 10 anos em casa e tomado remédios acordando só no dia seguinte. As crianças saíram de casa pelo telhado, e por esse crime ele é investigado na Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente).

Em 2012, 2015 e 2017 ele também tem boletins de ocorrência registrados contra ele, por calúnia, pertubação do sossego, descumprir legislação ambiental. Já neste ano são oito registros de BOs por perturbação do sossego e infração de medida sanitária devido as festas que promove no Damha. Em uma das festas na noite de domingo (26.07), ele ignorou o delegado que foi até o local fingindo que não estava em casa.

Conforme relato de testemunhas, frequentemente o morador abusa do som alto no local, sendo que naquela noite, um decibelímetro na casa de um vizinho aferiu 67,6 decibéis. Além do carro do morador, ainda havia outros veículos na frente da casa, indicando que outras pessoas também estavam ali