Cronograma prevê volta às aulas na rede particular de ensino em 4 etapas - Caarapó Online

Caarapó - MS, segunda-feira, 13 de julho de 2020


Cronograma prevê volta às aulas na rede particular de ensino em 4 etapas

A volta será gradual, conforme a faixa etária dos estudantes e deverá seguir uma série de normas de biossegurança

Publicado em: 06/06/2020 às 08h42

Maressa Mendonça

Após quase 3 meses de suspensão das atividades, chegou a previsão de retorno das aulas presenciais nas escolas particulares de Campo Grande. A volta deve ocorrer a partir do dia 1º de julho e de forma gradual, começando com o Ensino Infantil na primeira semana indo até o Ensino Médio na quarta e última etapa, tudo dentro do mês de julho.

Conforme as informações da presidente do Sinep (Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Mato Grosso do Sul), Maria da Glória Paim Barcellos ficou acordado com o Ministério Público Estadual que, na primeira semana  poderão retornar às aulas os alunos da Educação Infantil.

A segunda semana do cronograma começa no dia 8 de julho com a volta de parte dos estudantes do Ensino Fundamental, aqueles cursando do 1º ao 5º ano. Outra etapa do Ensino Fundamental, de alunos do 6º ao 9º ano, devem retomar às aulas presenciais na terceira semana, a partir do dia 15 de julho. A última semana ou quarta etapa, que começa no dia 22 de julho será para o retorno dos alunos do Ensino Médio.

Maria da Glória explica que as escolas deverão observar os critérios do plano de biossegurança que ainda será publicado pela Prefeitura de Campo Grande e fazer adaptações de acordo com o serviço oferecido.

“Cada escola vai fazer adequações de acordo com o nível que ela oferece. Vai atender ao plano de biossegurança macro e ter o seu individual porque as exigências do nível infantil não são as mesmas do Ensino Fundamental e Médio, tem critérios e características de cada um”,  declarou a presidente do sindicato.

Durante transmissão ao vivo realizada na sexta-feira (05.06), o prefeito Marquinhos Trad comentou sobre a volta às aulas nas escolas particulares. “Vai reabrir? Depende. Foi-se criado um calendário a partir do dia 1 de julho. Mas não quer dizer que serão reabertas. Vai depender de algumas coisas, o não crescimento da ocupação de leitos, a curva baixa de infecção, vistoria completa do plano de biossegurança”, detalhou.

O plano de biossegurança das escolas passará por avaliação da Prefeitura, do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), da OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil) e da Câmara Municipal.

Em nota, o Ministério Público Estadual, que participou das tratativas sobre o assunto, informou que a reabertura das escolas seguirá outros critérios como a avaliação dos números de casos confirmados de covid-19. Eles não poderão superar a média do mês de maio. A taxa de ocupação dos leitos também não poderá ultrapassar os 50% após a reabertura e os planos de biossegurança deverão aprovados pela Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano).

“As escolas pediam há dois meses uma data para se planejarem, treinarem, adquirirem EPIs etc. Ontem, foi possível apontar esta data, o que não quer dizer que voltarão nesta data automaticamente. E a ideia é voltar primeiro os alunos do ensino infantil e ir dosando a volta dos demais níveis com o tempo. Não haverá tolerância à irresponsabilidade”, finalizou a promotora de Justiça Ana Dias.