Servidor público da SESAI com 30 anos de serviço foi preso por tráfico de drogas - Caarapó Online

Caarapó - MS, terça-feira, 7 de julho de 2020


Servidor público da SESAI com 30 anos de serviço foi preso por tráfico de drogas

O suspeito é servidor público federal da SESAI, e usava o veículo oficial do Governo Federal para buscar maconha em Ponta Porã (MS)

Publicado em: 28/05/2020 às 07h02

Ricardo Campos

Um funcionário público federal que trabalhava há quase 30 anos na SESAI (Secretaria Especial de Saude Indígena) foi preso na terça-feira (26.05) por tráfico de drogas. Ele viajava com frequência para Dourados a trabalho, aproveitava para ir até Ponta Porã e carregava o veículo oficial com maconha.

O suspeito, que não teve o nome divulgado, andava pelas estradas sul-mato-grossenses sem despertar suspeitas, já que usava uma caminhonete L200 Triton com a logomarca do órgão e nunca era parado nas fiscalizações.

A droga era descarregada em Campo Grande. O esquema, segundo a polícia, era feito há longa data. O servidor foi pego em flagrante no distrito de Anhanduí (60 km da capital) graças a uma operação montada pela Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado (Deco), que já estava monitorando os passos dele.

Na ocasião, ele trazia 300 quilos de maconha escondidos em isopores, na carroceria da caminhonete, cobertos por lona. O funcionário público foi encaminhado à sede da Polícia Federal (DPF) na Capital para o registro do flagrante.

Ele saía de Campo Grande e ia prestar serviço em Dourados. De lá, ia até Ponta Porã, na fronteira com o Paraguai, carregava a droga na caminhonete e retornava para a Capital. “Em cerca de 5, 6 horas, ele fazia a rota”, explicou a delegada.

 

Para passar despercebido, costumava viajar de madrugada e aproveitava que estava em uma viatura oficial para não ser parado em barreiras policiais. Após as entregas, ele adulterava a quilometragem e ninguém desconfiava, até porque gozava de prestígio com mais de 30 anos de serviços prestados.

Com isso, durante as viagens ao sul do Estado, ele, durante o período vespertino, deslocava-se com o veículo oficial até a fronteira entre Brasil e Paraguai, nas cidades de Ponta Porã e a vizinha paraguaia Pedro Juan Caballero.

Em Pedro Juan Caballero, distante 170 km de Caarapó (MS) ele carregava o veículo com a droga e levava até Campo Grande (MS), descarregando em local definido e, de imediato, retornava a estrada novamente até Dourados, onde mantinha-se hospedado durante sua missão semanal, retomando seus afazeres sem chamar a atenção.

Ainda segundo a polícia, o modus operandi que mantinha, segundo apurado, era semanal, prática mantida já de longa data e quem vinha sendo apurada pela equipe de investigação. A polícia afirma que servidor praticava o crime aproveitando-se da facilidade de transitar pelas rodovias sem abordagens e sem chamar atenção pelo fato de utilizar veículo oficial. O servidor, a droga e o veículo foram encaminhados à Superintendência da Polícia Federal em Campo Grande.