Novo ministro da Justiça considera Jair Bolsonaro um ''profeta'' - Caarapó Online

Caarapó - MS, terça-feira, 20 de outubro de 2020


Novo ministro da Justiça considera Jair Bolsonaro um ''profeta''

O comandante do Planalto devolveu o elogio, chamando o advogado, que é pastor, de ''terrivelmente evangélico''

Publicado em: 30/04/2020 às 09h07

Augusto Fernandes

Após a saída traumática, para o governo, de Sergio Moro do Ministério da Justiça, o novo titular da pasta, o ex-advogado-Geral da União André Mendonça, tomou posse prometendo tudo aquilo que o presidente Jair Bolsonaro queria: alinhamento total com o chefe do Executivo, a quem chamou de “profeta do combate à criminalidade”. O comandante do Planalto devolveu o elogio, chamando o advogado, que é pastor, de “terrivelmente evangélico”.


Mendonça deixou claro que quem manda é o presidente, e que ele será apenas um instrumento, uma peça. “Vossa Excelência tem sido, há 30 anos, um profeta no combate à criminalidade. Esse ministro da Justiça assume o compromisso de lutar pelos ideais de uma vida que o senhor tem combatido”, afirmou.


Ao elogiar Mendonça e dizer que ele poderá formar a equipe de acordo com o seu entendimento, o presidente fez uma ressalva. “Uma das posições importantes, que quem nomeia sou eu, é o diretor-geral da Polícia Federal”, destacou.


Para Mendonça, não houve qualquer menção de “carta branca” ou “porteira fechada”, como Bolsonaro costuma dizer a ministros. Moro, agora considerado por apoiadores irrestritos do presidente como um traidor, não foi ao evento, tampouco houve qualquer citação ao nome dele, nem da parte do presidente nem do sucessor dele na pasta. Ainda que Bolsonaro tenha deixado claro que a indicação da PF é dele, o novo chefe da Justiça e Segurança Pública ressaltou: “Cobre de nós mais operações da Polícia Federal”.

O novo ministro da Justiça afirmou que a intenção é de uma integração constante entre os dois. “Vamos trabalhar com diálogo, seriedade, integridade, comunicação, interação, onde nenhum de nós é mais importante do que o outro, mas o grande ator é o povo”, disse. E completou: “O povo o elegeu para isso, e eu serei o fiel missionário dessa mensagem”. Ele deixou claro que está disposto sempre a prestar contas “não só ao chefe da nação, mas a todo povo brasileiro”.

Retaguarda jurídica

De acordo com Mendonça, a atuação dele será “técnica e imparcial”. Disse, no início do discurso que, de antemão, gostaria de fazer alguns compromissos com a nação. Falou sobre luta contra a corrupção, crime organizado, tráfico de drogas e armas e abuso sexual contra crianças e adolescentes.


O advogado frisou, ainda, a importância das forças de segurança, chamando os integrantes de heróis e prometendo buscar “retaguarda jurídica e valorização”. “Essas pessoas têm de ser valorizadas. Temos de reconhecer o valor dos agentes de segurança e vamos trabalhar para esse fortalecimento, dando princípios de autonomia, independência, responsabilidade, integridade, transparência e controle.”