Ministra da Agricultura discute com adidos agrícolas cenários para após a pandemia - Caarapó Online

Caarapó - MS, domingo, 9 de agosto de 2020


Ministra da Agricultura discute com adidos agrícolas cenários para após a pandemia

Ministra discute com adidos agrícolas cenários para o setor após a pandemia

Publicado em: 27/04/2020 às 08h31

Assessoria

Em videoconferência com a ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) na sexta-feira (24.03), 23 adidos agrícolas que atuam em diversos países apresentaram os cenários do setor neste momento de pandemia do novo Coronavírus e possíveis ações para a retomada da economia pós-Covid-19.

ADIDOS - pessoas das embaixadas do Brasil em diversos países que atuam num setor específico do mercado, representando o Governo brasileiro em outras nações. Neste caso foram os adidos da Agricultura.

A ministra lembrou a importância de reforçar para os outros países que o Brasil é um parceiro confiável no fornecimento de alimentos e está dando conta do abastecimento interno neste momento.

"É importante esse olhar de vocês no dia a dia, porque vocês estão na ponta. Nós lemos os jornais, mas vocês têm o feeling e podem trazer essa leitura muito mais real.

Precisamos ter as informações atuais para que possamos traçar cenários sobre o que vem para o futuro", disse Tereza Cristina.

A ministra também recomendou que os adidos descrevam para os países onde atuam sobre os padrões de qualidade dos produtos agrícolas brasileiros.

"Isso vai ser fator preponderante para o perído pós-Coronavírus. Existe um desconhecimento generalizado sobre a agricultura brasileira, o que acaba gerando críticas de outros países", disse a ministra, lembrando que a sanidade dos produtos brasileiros pode fazer a diferença no mercado internacional.

A ministra destacou que as exportações brasileiras estão fluindo bem, apesar da diminuição para alguns países, mas no todo, está havendo aumento.

Segundo ela, a Ásia como um todo atualmente importa mais produtos agrícolas do Brasil do que Estados Unidos, Argentina e União Europeia juntos.